PUBLICIDADE
Notícias
requalificação

Árvores da Beira Mar começam a ser retiradas para realização de obras

O titular da Regional II, Ferruccio Feitosa, garantiu que 10 árvores serão replantadas para cada uma que for retirada. Além disso, ele contabiliza o plantio de 2 mil novas no local

21:53 | 06/02/2019
Foto: Luciano Rodrigues/Especial para O POVO
Foto: Luciano Rodrigues/Especial para O POVO

Atualizada às 14h21min

Começou a retirada das árvores da avenida Beira Mar, realizada pela Prefeitura de Fortaleza, para o prosseguimento das obras de requalificação na área. A informação foi apurada pelo programa O POVO no Rádio, da Rádio O POVO/CBN.

A assessoria de comunicação da Secretaria da Infraestrutura de Fortaleza (Seinf) informou que, até a semana que vem, os agrônomos e técnicos da Autarquia de Urbanismo e Paisagismo de Fortaleza (Urbfor) estarão fazendo a retirada de 40 árvores. Deste total, 25 já foram retiradas.

Um comerciante da região, que se identificou apenas como Edimar, disse à reportagem que a derrubada das árvores "maltrata a natureza". "Uma cidade arborizada fica bem melhor para a vida da gente", comentou.

Durante entrevista à Revista O POVO, na tarde desta quarta-feira, 6, o titular da Regional II, Ferruccio Feitosa, garantiu que 10 árvores serão replantadas para cada uma que for retirada. Além disso, ele contabiliza o plantio de 2 mil novas no local.

Segundo o secretário, a retirada deve-se a instalação de um novo sistema para drenagem de águas pluviais, no intuito de evitar alagamentos na via. Ele disse que as árvores impossibilitam a instalação das novas tubulações, que levariam a água das chuvas para o mar.

"Por questão de logística, por questão de engenharia, às vezes algumas coisas para fazer melhorias na cidade, inevitavelmente, têm que ocorrer", ressaltou Ferruccio Feitosa, sobre a realização das intervenções. Ele garante que "tudo está sendo feito com mais absoluta responsabilidade ambiental".

Sobre as obras, o titular da Regional II disse que a requalificação acontece em quase 212 mil metros quadrados. Elas resultarão em 40 novos boxes, todos padronizados, além de três pavilhões multiusos e a reurbanização de todos os espigões.

Redação O POVO Online