PUBLICIDADE
Notícias

Fortaleza volta a ter duas madrugadas seguidas com ataques criminosos

Sequência vem após uma madrugada sem ocorrências de atos criminosos cometidos por facções

10:53 | 17/01/2019
NULL
NULL
[FOTO3]  
Durante os 16 dias de ataques no Ceará, o horário da madrugada foi escolhido para grande parte dos atentados a prédios públicos, viadutos e pontes. Na madrugada de terça-feira, 15, não foram registradas explosões e incêndios em Fortaleza ou no interior do Estado nas primeiras horas da manhã. Já na madrugada de quarta-feira, 16, a única ocorrência registrada foi um incêndio em um poste no Conjunto Ceará.
 
Nesta quinta-feira, 17, criminosos voltaram a praticar explosões de madrugada. Uma bomba foi colocada no poste próximo à estação de metrô no bairro Couto Fernandes. A explosão foi escutada em diferentes bairros, mas não causou grandes danos ao funcionamento do transporte.
 
[SAIBAMAIS]Mesmo sem ações na madrugada de terça-feira, 15, desde a primeira quarta-feira do ano o Ceará registra ataques todos os dias. Durante a terça, pelo menos três ações ocorreram em bairros diferentes. Um ônibus e um caminhão de peixe foram queimados, tendo as chamas contidas pela população, além do registro de tentativa de incêndio em duas torres de telefonia móvel no Serviluz. As ações de deram durante a noite.
 
Na noite dessa quarta-feira, outra explosão ocorreu em uma ponte, na rua Tim Maia, no bairro Bela Vista. Os prejuízos à estrutura foram mínimos. Na Aerolândia, uma agência bancária foi alvo de tiros e incêndio.
 
Com a localização e apreensão da carga de 5,7 toneladas de explosivos roubadas em dezembro, os suspeitos agem com menos recursos, mas não param as investidas. A primeira parte do material, encontrada no sábado, 12, era de sacas de granulados explosivos.
 
[FOTO1] 
 
De acordo com a Polícia Civil, os criminosos não estariam utilizando esse tipo nas ocorrências. Outra parte, localizada na manhã de ontem na Granja Lisboa, continha carregamento de emulsão explosiva. Esta teria sido usada em pelo menos quatro ataques. Também foi fechado um depósito clandestino de combustíveis usados para incendiar ônibus e outros equipamentos públicos e privados.

Desde o início da onda de violência, foram presas e apreendidas 383 pessoas com participação nos atos criminosos praticados em pelo menos 40 municípios do Estado. Policiamento continua reforçado em áreas consideradas mais críticas. Para garantir a manutenção de serviços básicos, como coleta de lixo e transporte público, agentes de segurança fazem escolta dos caminhões de lixo e dos ônibus. A noite de ontem foi a primeira em três semanas de ataques que os coletivos rodaram normalmente até as 23h.
 
 
TAGS