PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Em 10 dias, região da Praia do Futuro teve cinco execuções em três episódios de violência

Dois dos casos, segundo fontes policiais, podem ter relação com brigas por territórios de facções

12:30 | 16/12/2018
NULL (Foto: )
NULL (Foto: )
[FOTO1] 
Pelo menos três casos se somaram aos registros de violência nos bairros entre o Cais do Porto e a Praia do Futuro no intervalo de 10 dias. Foram cinco mortes divididas nos bairros Serviluz, Manoel Dias Branco e Antônio Diogo, entre os dias 6 e 15 de dezembro. Dois dos ataques a tiros, segundo a Polícia, podem ser relacionados a brigas por território entre facções criminosas.

No dia 6 de dezembro, quinta-feira, criminosos surpreenderam grupo de pessoas na esquina entre as ruas Vitória da Conquista e Francisca Maria Segundo, no bairro Manoel Dias Branco. Os tiros atingiram cinco pessoas, entre elas um menino que ia comprar água com a mãe. Daniel Matos da Silva, de 14 anos, não resistiu aos ferimentos e morreu. O jovem Jociliano Gomes Soares de Lima, de 19 anos, também sem antecedentes criminais, foi outro que morreu no ataque. As vítimas estavam em uma calçada e não tiveram chance de defesa.

[SAIBAMAIS]Oito dias depois do ataque, outro crime foi registrado na região. No bairro Antônio Diogo, na rua Edmundo Falcão, próximo às comunidades do Coco e do Caroço, dois homens que estavam cortando o cabelo em um salão foram mortos por grupo armado vestidos com blusas da Polícia Civil. Os irmãos Rodrigo Mendes Teixeira, 18, e Welton Jonatan Mendes Teixeira, 25 faleceram no local, um deles ainda na cadeira onde estava sendo atendido.

De acordo com fonte ligada ao policiamento local, as mortes do salão de beleza podem ter sido consequências de retaliação para as mortes do bairro Manoel Dias Branco. No ataque do dia 6 de dezembro, as vítimas que estavam na calçada não eram alvo inicial dos criminosos. Segundo fonte da PM, o mandante do crime teria sido identificado e tem relação com organizações criminosas. 
 
[FOTO2] 

Ainda neste fim de semana, o mestre de capoeira Envergado, como era conhecido Jefferson Viana da Silva, de 45 anos, também foi assassinado
. Ele vivia em situação de rua no bairro Serviluz, onde foi morto a tiros na tarde deste sábado, 15. Não se sabe a motivação do crime e, até este domingo, 16, ninguém foi preso. A morte de Envergado foi sentida por colegas da comunidade de capoeiristas do Brasil e internacionalmente. Admiradores postaram homenagens ao mestre nas redes sociais lamentando sua morte violenta. 
 
[VIDEO2] 
 
Dados

Até novembro deste ano, 62 homicídios foram registrados na Área Integrada de Segurança (AIS) 10, que abrange a Praia do Futuro e o bairro Manoel Dias Branco, além de outros nove bairros da Capital. A região da morte do capoeirista, próximo aos bairros Cais do Porto e Vicente Pinzón, é parte da AIS 1 e atingiu a marca de 52 assassinatos nos últimos 11 meses.
 
Mapa do local dos assassinatos registrados nos últimos 10 dias
[VIDEO1]   
 
As duas áreas integradas tiveram redução de assassinatos desde o ano passado. Em 2017, até novembro, a AIS 10 registrou 108 mortes violentas. Na AIS 1, os homicídios chegaram a 85 casos no mesmo período. A redução, em comparação com os primeiros 11 meses deste ano, é de 42% e 39%, respectivamente. 
 
TAGS