Professor da UFC acusado de assédio é suspenso, mas poderá voltar a lecionar em 2019Notícias de Fortaleza
PUBLICIDADE
Notícias


Professor da UFC acusado de assédio é suspenso, mas poderá voltar a lecionar em 2019

Decisão da UFC é registrada em portaria quase oito meses após denúncia. Docente voltará a dar aula em março de 2019

13:30 | 12/11/2018
A Universidade Federal do Ceará (UFC) suspendeu o professor do Departamento de Física acusado de assediar uma estudante de 16 anos. Afastado do cargo desde março deste ano, o professor ficará suspenso pelo prazo de 90 dias a partir do próximo dia 3. Docente usou aluna para fazer demonstração de física durante a aula.

A suspensão foi publicada em portaria pelo Reitor da Universidade, Henry de Holanda Campos. A pena disciplinar ocorrerá até 2 de março de 2019, quando o professor retornará ao ambiente de aula. A portaria foi publicada no último dia 24 de outubro.

[SAIBAMAIS]A portaria explica que o professor lotado no Departamento de Física infringiu o Art. 116 da Lei 8112/90, que dispõe sobre o regime jurídico dos servidores públicos civis da União e das fundações públicas federais. De acordo com a lei, o professor não manteve "conduta compatível com a moralidade administrativa".

A decisão ainda não chegou no Ministério Público Federal (MPF), onde, conforme assessoria de imprensa, o processo ainda tramita em fase de inquérito e aguarda a sindicância da UFC. O caso continua sob responsabilidade da procuradora Nilce Cunha Rodrigues.

O episódio 
 
A jovem de 16 anos assistia aula no Campus do Pici quando teria sido assediada pelo professor. Conforme relatos, o professor chamou a aluna para fazer demonstração prática sobre força durante a aula. Ele teria pedido que a jovem ficasse de costas, empurrando-a com força três vezes seguidas.

Após o terceiro ato, teria proferido comentários de cunho sexual como "ela gosta" e "porrada por trás sempre é gostoso". Em seguida, teria agarrado a vítima pelas costas, levantando-a. A família abriu a denúncia após os relatos da jovem.
 
Denúncias

O mesmo docente já havia sido denunciado à UFC em 2013, também por uma aluna do curso de Agronomia. Conforme a estudante denunciou à Ouvidoria da UFC, o professor tinha "comportamento totalmente inadequado, demonstrando ser um autoritário, arbitrário, debochando dos alunos ou adotando brincadeiras impróprias para sala de aula, tomando sempre exemplos imorais (tais como banheira de motel)".
TAGS