Conheça cinco jovens cearenses que driblam a crise econômica com um negócio próprioNotícias de Fortaleza
PUBLICIDADE
Notícias


Conheça cinco jovens cearenses que driblam a crise econômica com um negócio próprio

O POVO Online reuniu a história de cinco jovens empreendedores de Fortaleza e Região Metropolitana, que trabalham por conta própria

21:30 | 13/11/2018
NULL
NULL
Diversas são as reclamações de jovens brasileiros quando o assunto é emprego. Alguns relatam dificuldade em conseguir vagas, dada a falta de experiência; outros acusam a faculdade de complicar a vida, tornando mais difícil iniciar-se no mercado. Entretanto, alguns deles buscam meios alternativos para conseguir renda. 
 
O POVO Online conversou com jovens empreendedores cearenses, que usaram da criatividade, do trabalho duro e da força de vontade para criar um negócio e tentar driblar a crise econômica.
 
David Augusto, sketchbooks artesanais - The Universe Store
Um caderno para esboços e rascunhos, que pode ser pautado, quadriculado, com pontos ou folhas totalmente em branco. Esse é, basicamente, o principal produto de David Augusto e seu sócio, Symon Simons, que comercializa sketchbooks artesanais com capas personalizadas. A loja virtual, The Universe Store, tem sua venda e divulgação feita no Instagram, e aceita os mais diversos pedidos de capas.
 
A ideia inicial era vender cadernos de costura simples, o que levou David a pesquisar por novas formas de fabricar os produtos. Atualmente, a venda se estende a planners, blocos de planejamento semanal e sketchbooks, que podem ser usados para desenhos ou organização pessoal.
  
[FOTO1]
No início, a The Universe Store vendia diversos produtos artesanais, como acessórios. "Quando começamos a loja, eu estava pesquisando muito sobre bullet journal (uma mistura de agenda com caderno de anotações), que era algo que eu queria muito começar a fazer. E eu vi como era meio complicado conseguir um caderno com folha pontilhada que fosse bonito e do tamanho que eu queria, então eu fiz o meu próprio caderno, vendo alguns tutoriais e mudando para os materiais que eu tinha", conta David.
 
A começar a produzir o material para a loja, os pedidos começaram a crescer, assim como a variedade de capas e folhas. Com a produção crescente de sketchbooks, David e Symon abandonaram os outros produtos e se focaram nisso, fazendo da The Universe Store uma loja de sketchbooks artesanais. As capas, conforme registrado no Instagram da loja, são as mais variadas possíveis, geralmente com fotos de famosos e personagens de desenho animado e filmes - Rick and Morty, Feiticeira Escarlate, Pantera Negra, personagens da série Harry Potter e até mesmo cantores de k-pop já figuraram.
 
Segundo David, a mãe influenciou indiretamente o desenvolvimento desse trabalho criativo. "Ela trabalha com artesanato e decoração de festa infantil, e eu já ajudei bastante nisso. Esse trabalho me influenciou a querer aprender a fazer artesanato", relata.
 
[FOTO2] 
Apesar de não ter relação com o seu curso atual, que é Engenharia da Computação, David considera que consegue colocar a produção dos sketchbooks em ordem, para não prejudicar os estudos. A produção, segundo ele, é feita no final de semana. 
 
O lucro obtido com a loja serve para ajudar no sustento e lazer. Eles também utilizaram o dinheiro obtido com a loja para investir na melhora da produção, obtendo nova impressora e equipamentos que facilitam o trabalho, que continua artesanal.
 
A venda é toda feita pelas redes sociais, no Facebook e no perfil do Instagram da loja The Universe Store.
 
Renan Silva, agência de marketing e criação - 2D Media
Renan Silva tem 21 anos e é estudante do curso de Publicidade e Propaganda. Ele tem a agência de marketing e criação 2D Media. Além de criações de marca e ações de marketing, a agência oferece produção fotográfica, publicidade impressa e o serviço de gerenciamento de mídias sociais.
 
[FOTO3]
A ideia do empreendimento surgiu inicialmente de uma parceria de Renan com um primo. "Na época, nós criávamos conteúdo para uma página no Facebook de bandas e fanfarras, e decidimos criar a empresa. Meu primo ficou muito pouco tempo, e eu coloquei o projeto para frente praticamente do zero. Já são 3 anos de existência", conta. Atualmente, o projeto conta com outras três pessoas: Rhayane, que cuida da parte de auxílio administrativo, Assis, auxiliar de criação e Maurício, responsável pela logística.
 
A família de Renan tem papel fundamental nesse processo, auxiliando-o direta e indiretamente. Além da motivação, a família também deu suporte físico, já que o escritório da agência é na sala da casa dele. "Antes de possuir o escritório, a empresa era somente online, o que por um lado, favorecia uma maior flexibilidade ao cliente. E após muito trabalho, o escritório foi construído totalmente com investimentos próprios".
 
Por ter tido dificuldades de conciliar o projeto com um estágio, ele escolheu trabalhar por conta própria e continuar somente com a agência. Deu certo. 
 
[FOTO4]
Apesar de admitir a dificuldade em estudar e trabalhar ao mesmo tempo, Renan afirma ter 100% de aproveitamento na faculdade de Publicidade e Propaganda, onde ele cursa o último semestre. 
 
De acordo o jovem, a empresa é uma das referências no segmento de criação na cidade. Com bom desempenho também nas redes sociais, onde a agência surgiu, Renan demonstra estar satisfeito com o trabalho que foi realizado até agora. "A empresa trouxe enormes benefícios, reconhecimento, bens materiais e evolução", relata. 
 
Priscila Alves, doces para eventos e entregas - Doces Encantus
No dia 1º de maio de 2013, nascia a Doces Encantus, fruto do sonho de Priscila Alves e Tamirys, sua prima e sócia. O empreendimento começou pequeno, somente com encomendas de brigadeiros, com a produção feita na cozinha de casa. Com o tempo, a primeira festa infantil, feita para uma conhecida. Depois, com a divulgação nas redes sociais, o negócio cresceu. Atualmente, a empresa trabalha com eventos e produtos para pronta entrega em Maracanaú.
 
A ideia surgiu quando Priscila ficou desempregada. Moradora de Fortaleza na época, ela resolveu se mudar para Maracanaú para morar com a prima. Tamirys trabalhava como técnica em Segurança do Trabalho. 
 
Ao ter contato com uma venda de brigadeiros, houve o "encantamento" de Tamirys com a embalagem e qualidade do doce. Então, surgiu o convite das duas trabalharem juntas vendendo doces. Priscila topou. "Do mesmo jeito que aquele brigadeiro que a minha prima viu a encantou, a gente queria encantar outras pessoas através do nosso doce. Foi uma ideia enviada por Deus. Encaixou no nosso conceito, na nossa visão, em tudo que a gente queria que acontecesse com o doce", conta Priscila.  
 
[FOTO5]
O lucro serve para o sustento das duas, além de servir para melhorar a produção da empresa. Os investimentos feitos trouxeram equipamentos para a loja, cursos para a melhoria dos doces e até um carro para as duas sócias. 
 
Estudante de Publicidade e Propaganda, Priscila utiliza ferramentas e informações que obteve no curso para alavancar a marca, dar visibilidade à empresa. Como fazer o layout, o nome da empresa, estudo das cores, tudo foi aplicado na loja. Inclusive, ela analisa formas de conciliar estudos e negócios.
  
[FOTO6] 
A produção é feita em uma cozinha independente, na sede da empresa. Além de um entregador, a Doces Encantus tem três funcionárias: duas trabalham na confecção de chocolates e doces; e a terceira na modelagem. Eles recebem encomendas para casamentos, festas de 15 anos, aniversários infantis, dentre outros. Há ainda bolo de pote, afogadinho (bolo vulcão) e outros produtos exclusivos. 
 
Karen Medeiros, quadros personalizados - Ateliê dos Quadros
Uma loja virtual que vende quadros personalizados. É assim que Karen Medeiros, de 20 anos, trabalha para arrecadar dinheiro para realizar seu casamento. Estudante de Jornalismo, Karen e o noivo, Euclides Rufino, produzem os quadros da loja "Ateliê dos Quadros" há 5 meses, dividindo-se entre a criação das artes, divulgação nas redes sociais, execução das molduras e entrega dos produtos.
 
[FOTO7] 
"Eu sempre quis montar meu próprio empreendimento. No início, pensei em trabalhar com venda de roupas, mas como sempre gostei de design e criação, e com o apoio do meu noivo, vi nos quadros essa oportunidade de empreender, fazendo o que realmente amo fazer", contou ela.
 
O que aprendeu na faculdade, Karen aplica no trabalho. Ela usa a criação de artes para os quadros como produtos de algumas das disciplinas do curso. Para ela, essa conciliação tem sido de extrema importância. 
 
Apesar de precisar dividir as atenções entre a faculdade e o empreendimento, Karen não acredita que o trabalho tenha prejudicado seu aproveitamento nos estudos. Ela ainda tem uma outra ocupação, que é o trabalho como social media. "Pelo fato de já estar sempre conectada, pra mim é fácil conciliar as vendas da minha loja com o meu trabalho. Porém, tem horas que não dou conta, mas como a loja é online, meu noivo me ajuda nisso".
 
[FOTO8]  
Depois de realizar o casamento, a loja não deve acabar. o objetivo de Karen e Euclides é continuar crescendo junto com a Ateliê dos Quadros.
 
Pedro Victor Pontes, brownie sem lactose - PV Gourmet
As vendas começaram cedo para Pedro Victor Pontes. Em 2014, quando cursava o 1º ano do Ensino Médio, ele já revendia trufas, feitas por uma amiga. No 3º ano, ele passou a fazer os próprios bolos de chocolate e coco para vender aos colegas de escola. Ao entrar na faculdade, percebeu que a competição era mais acirrada. 
 
[FOTO9]
"Em cada esquina, alguém vende algo na universidade, sejam trufas, brownies, bolos. Seria complicado competir", relata ele. Entretanto, ele se encheu de coragem e voltou a vender os bolos que fabricava, obtendo lucro desde a primeira semana. Isso fez com que ele aumentasse a produção.
 
Ao receber sugestões, Pedro Victor passou a produzir brownie, criando uma receita própria do doce, que não tem lactose. Desde então, ele tem conseguido obter dinheiro para sustento e ainda dá para poupar. A meta é realizar o sonho de visitar outros países e universidades no exterior, durante a graduação.
 
Estudante de Biotecnologia na Universidade Federal do Ceará (UFC), Pedro conta que foi estimulado pela mãe. "Minha mãe sempre me ensinou e motivou a economizar e procurar alguma forma de ganhar dinheiro, além de sempre incentivar meu espírito de empreendedorismo. Ela dava o dinheiro contado do mês para lanche e transporte, para que eu aprendesse a administrar dinheiro desde pequeno".
 
[FOTO10]
Atualmente, Pedro acredita que a venda de bolos trouxe para ele experiência de administração em vendas e fabricação do produto, além de noções de como melhor gerir o lucro.
 
"Ao começar a vender bolo, fui tão elogiado pela qualidade que colegas e amigos falaram que gostariam de ser empreendedores como eu. Ao ver a dificuldade de vender brownie, quando já vendiam muitos produtos de chocolate, resolvi fazer um produto sem lactose e de preço acessível, além de ser saboroso. Passei a ser reconhecido como uma pessoa mais responsável no que faço", finalizou. A divulgação do produto acontece no WhatsApp e, mais recentemente, no Instagram.
 
TAGS