Cliente deve receber R$ 10 mil após passar Réveillon em avião com sucessivos atrasosNotícias de Fortaleza
PUBLICIDADE
Notícias


Cliente deve receber R$ 10 mil após passar Réveillon em avião com sucessivos atrasos

Apesar de alegar gastos por conta dos transtornos, cliente prejudicado não apresentou documentos suficientes para comprovar danos materiais

11:52 | 13/11/2018
Avião da companhia American Airlines
Avião da companhia American Airlines
[FOTO1]
Um homem deve receber R$ 10 mil de companhia aérea depois de sair do Aeroporto Internacional de Fortaleza e demorar quatro dias para chegar a Nova York, nos Estados Unidos. Com sucessivos atrasos no voo, ele acabou passando inclusive o Réveillon no avião. A condenação, feita pela 31ª Vara Cível da Comarca de Fortaleza, foi publicada na última sexta-feira, 9.
 
Apesar dos problemas técnicos justificados pela empresa American Airlines, o juiz entendeu que ela deveria ter embarcado o cliente imediatamente. A viagem tinha duração prevista de menos de um dia. 

Por causa dos transtornos, o cliente, que é um servidor público, ingressou com ação na justiça pleiteando indenização por danos materiais referentes a cancelamento de reservas de hotéis, aluguel de carro, guias, compras de roupas e medicamentos, bem como indenização por danos morais. No entanto, segundo a decisão do juiz, o servidor não apresentou documentos para comprovar os gastos. Por danos materiais, deve receber R$ 619,39. Além do pagamento por reparação moral de R$ 10 mil.
 
 
A American Airlines apresentou contestação reconhecendo que o voo atrasou em razão da necessidade de realização de reparos na aeronave, algo que alegou ser imprevisível. Também defendeu que sua atuação foi de boa-fé e pautada pelo zelo à integridade física dos passageiros. Entre anônimos e famosos, artistas, como os atores Danielle Winits, André Gonçalves e o grupo de pagode Revelação, seguiam no voo. No total, 332 passageiros estavam a bordo no avião do voo AA974. 

Ao analisar o caso, o magistrado afirmou que “apesar das alegações feitas pela ré (problemas operacionais), não tomou ela providências necessárias de modo a providenciar o embarque do autor ao destino contratado, imediatamente”. Na decisão, o juiz destaca a prestação incompleta dos serviços, além do incômodo no atraso do voo. 

Os clientes tiveram de enfrentar atrasos no voo após problemas na turbina da aeronave. Além disso, os passageiros tiveram de fazer outro pouso após uma mulher passar mal a bordo. Depois de horas sucessivas de espera, a tripulação não pode seguir voo pois o horário de trabalho já havia sido finalizado. O voo foi cancelado e os passageiros alocados em outra aeronave.  

Redação O POVO Online
TAGS