Ceará tem ao menos cinco homicídios com suspeita de motivação política neste semestreNotícias de Fortaleza
PUBLICIDADE
Notícias


Ceará tem ao menos cinco homicídios com suspeita de motivação política neste semestre

Acompanhe como está a elucidação dos casos

17:50 | 13/11/2018
NULL
NULL

O Ceará registra pelo menos cinco homicídios nos pultimos quatro meses com suspeita de motivação política. Os casos são investigados por delegacias como a Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) ou delegacias locais. Desses cinco casos, dois foram considerados elucidados pela Polícia Civil.

 

Nesta terça-feira, 13, coronel da reserva morreu em hospital particular de Fortaleza. Ele foi vítima de golpe de faca desferido por um primo. O motivo teria sido uma discussão política entre os dois, pois o oficial era eleitor de Jair Bolsonaro (PSL) e o primo, de Fernando Haddad (PT). Após o crime, o suspeito foi preso e encaminhado a delegacia de Itapipoca.

 

[FOTO4]

 

Na madrugada do dia 30 de outubro, após as eleições presidenciais, um homem foi morto e decapitado depois que manifestou o voto em Bolsonaro. Conforme confessou um dos suispeitos, a posição política foi a motivação para que os criminosos da facção criminosa Guardiões do Estado (GDE) fossem até a residência do homem e o retirassem de casa, na frente da mulher e dos três filhos, para matá-lo


Após a morte, a família segue no programa de proteção a testemunhas do Ceará. Mais de 100 quilos de alimentos foram arrecadados para ajudar a família. Os três suspeitos presos passaram por audiência de custódia e tiveram a prisão em flagrante convertida em prisão preventiva. Michel de Freitas dos Santos, José Magno Marques de Sousa e Thiago da Silva Monteiro foram autuados por homicídio qualificado. 

 

[FOTO2]
Charlione Lessa Albuquerque, 23 anos, trabalhava como servente de pedreiro e estava na carreata de Fernando Haddad, dia 27 de outubro, um dia antes das eleições presidenciais, quando foi morto a tiros. Um homem em um carro saiu do veículo e efetuou os disparos contra o rapaz, que estava dentro de outro veículo. 

Na época, a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) não divulgou informações sobre a motivação do crime e informou que o caso estava sob investigação. A situação fez com que a maior parte dos eleitores que participavam da carreata fossem prestar apoio e solidariedade a família do rapaz no hospital de Pacajus. Fernando Haddad divulgou nota lamentando o crime na carreata e pedindo apuração.

 

[FOTO1]

No dia 11 de outubro o vendedor de livros Valdenir Mendes Cirino foi vítima de espancamento e enfrentou uma peregrinação nos hospitais e Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Fortaleza, com fortes dores no tórax. No dia 22 de outubro, ele deu entrada no hospital morto. 

 

A mulher de Valdenir afirma que ele informou que estava na avenida 13 de maio e que entrou em luta corporal com pessoas que entregavam panfletos de Fernando Haddad. Na ocasião, ele disse a mulher que foi espancado por várias pessoas depois que manifestou apoio ao presidente eleito Jair Bolsonaro. A família, desde então, busca respostas acerca do crime. 

 

[FOTO3] 


No dia 31 de agosto vereador foi morto na Região Metropolitana de Fortaleza, em frente a Câmara Municipal de Ititinga. A vítima chegava com familiares e foi abordada por criminosos armados. O crime foi flagrado por câmeras de segurança. Dois meses após o caso, ainda não há presos e a Polícia Civil informou que mais informações só devem ser divulgadas em um momento oportuno para não atrapalhar as investigações. O caso é investigado pela Delegacia Metropolitana de Itaitinga.

TAGS