Apesar de redução, Nordeste ainda é a região com mais mães adolescentesNotícias de Fortaleza
PUBLICIDADE
Notícias


Apesar de redução, Nordeste ainda é a região com mais mães adolescentes

Nordeste lidera o ranking de regiões com 76.866 novos casos de mães adolescentes registrados no ano passado. Deste total, 7.555 garotas sequer tinham chegado aos 15 anos quando entraram em trabalho de parto

17:55 | 01/11/2018

O Nordeste foi a região brasileira com o maior número de mães menores de 18 anos em 2017. A informação é de balanço divulgado nessa quarta-feira, 31, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Segundo os dados do registro civil em todo o Brasil, a região nordestina teve uma queda de 12,9%, em comparação com 2007, no número de adolescente que se tornaram mães antes de atingir a maior idade.

[VIDEO1]

[SAIBAMAIS]Apesar da redução, o Nordeste lidera o ranking de regiões com 76.866 novos casos de mães adolescentes registrados no ano passado. Deste total, 7.555 garotas sequer tinham chegado aos 15 anos quando entraram em trabalho de parto.

O levantamento mostra que a região Sul foi a que teve a maior diminuição (26,5%), seguida pelo Sudeste (21.3%), Centro-Oeste (18.1%), Nordeste (12.9%) e Norte (0,2%).

Situação do Ceará

O Ceará se manteve próximo à média regional e teve uma diminuição de 11,3% no número de adolescentes que se tornaram mães. O Estado ocupa a quinta colocação no ranking regional, atrás da Bahia, Pernambuco, Paraíba e Rio Grande do Norte, e à frente do Piauí, Alagoas, Maranhão e Sergipe.

[VIDEO2]

Porém, se analisarmos o número total de casos registrados no Ceará, os dados são ainda mais alarmantes. O Estado é o quarto da região com maior número de maternidade na adolescência e o terceiro se levarmos em consideração somente menores de 15 anos.

O estudo mostra que em 2017 foram registrados 1.009 casos de meninas menores de 15 anos que se tornaram mães, 1.823 garotas com 15 anos, 3.223 adolescentes de 16 anos e 4.383 novas mães com 17 anos no Ceará.

A faixa etária que obteve maior redução em comparação com 2007 foi a de 17 anos (16,5%), seguida por 15 anos (10,4%), 16 anos (6,8%) e por último, menores de 15 anos (2,2%).

TAGS