PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Fortalezense pode buscar remédios para pressão e diabetes em terminais

O paciente que não conseguir obter um medicamento no posto mais próximo de casa pode reservar, no próprio posto, uma entrega em qualquer farmácia de terminal

22:58 | 25/10/2018
NULL (Foto: )
NULL (Foto: )

[FOTO1] 

Com sete unidades inauguradas em terminais de ônibus de Fortaleza desde agosto de 2017, as Centrais de Distribuição de Remédios podem ser utilizadas de forma fácil e rápida por qualquer cidadão com prescrições médicas de postos de Saúde da Capital.

[SAIBAMAIS]Atualmente, o sistema opera sob demanda: o paciente que não conseguir obter um medicamento no posto mais próximo de casa pode reservar, no próprio posto, uma entrega em qualquer farmácia de terminal. O sistema, no entanto, fornece apenas remédios entre uma lista de 84 medicamentos considerados “prioritários” pela gestão municipal.

Conforme explica a secretária municipal de Saúde, Joana Maciel, uma vez feita a reserva, qualquer familiar ou amigo do paciente pode resgatar o medicamento na farmácia da Prefeitura. “A pessoa pode também escolher em qual dos nove pontos ela irá pegar o remédio. Não precisa ser um em específico, ela pode escolher o que lhe for mais conveniente”, explica.

Atualmente, o serviço é prestado nos terminais do Antônio Bezerra, Conjunto Ceará, Siqueira, Lagoa, Papicu, Parangaba e Messejana. 

[VIDEO1] 

Neste modelo de operação, mais de 73,1 mil pacientes já reivindicaram remédios nas centrais dos terminais entre outubro de 2017 e setembro deste ano. 26,1 mil, no entanto, não compareceram às unidades para resgatar os medicamentos e perderam a reserva.

Sozinhos, apenas esses medicamentos tiveram 2.560.783 saídas neste período. Ao todo, 84 remédios considerados “prioritários” são distribuídos nas farmácias de terminais, que atenderam mais de 47 mil pacientes desde o início da operação. O remédio com mais saída foi a metmorfina, usado no tratamento da diabetes, com 663.547 saídas.

[VIDEO2] 

Logo após aparecem a losartana potássica, para tratamento de pressão alta (619.317), a gliclazida, para controle da diabetes (345.263), o colecalciferol, também usado no tratamento da diabetes (321.389), a hidroclorotiazida, para controle da pressão alta (243.107), o anlodipino, também pressão alta (224.989), e, por fim, o analgésico ácido acetilsalicílico (143.171).

TAGS