Zona Azul deve funcionar na Capital por meio de aplicativos a partir do dia 16 deste mêsNotícias de Fortaleza
PUBLICIDADE
Notícias


Zona Azul deve funcionar na Capital por meio de aplicativos a partir do dia 16 deste mês

Pelo menos seis empresas farão o desenvolvimento dos programas que compõe o sistema de aluguel de vagas de estacionamentos nas vias da Capital

12:32 | 08/08/2018
NULL
NULL

[FOTO1]

O sistema de estacionamentos de vias públicas na Capital passará a funcionar com intermediação de aplicativos a partir de 16 de agosto. As vagas de Zona Azul são utilizadas atualmente mediante a compra de um cartão de papel, que será substituído pela alternativa digital. Esse sistema já é adotado em outras capitais do Brasil. Prefeitura e Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) realizaram seleção de sete empresas para desenvolver os apps.


A população poderá escolher entre os aplicativos para fazer a compra dos créditos digitais. Após informar o nome completo, email, placa do veículo e forma de pagamento, o cidadão poderá pagar pelas horas que deseja ficar na vaga de estacionamento. O custo será mediado pela Prefeitura, que enviará uma tabela de preços para as empresas participantes no sistema de Zona Azul. A taxa inicial será de R$ 2. 

[SAIBAMAIS] A empresa Serttel Soluções em Mobilidade e Segurança Urbana, que já é responsável pelas bicicletas e carros compartilhados da Capital, irá lançar um dos aplicativos para os tickets de estacionamento. A Serbet Sistemas de Estacionamento Veicular Brasil também vai participar do lançamento com o app “Estacionamento Digital”, que já funciona em 17 cidades. Uma das empresas cearenses credenciadas para fazer o app é a Necava, com o “Zona Fácil”. 

“O app vai mostrar onde existem vagas próximas à sua localização. Após a seleção da vaga e estacionamento do veículo, o programa começa a contar o tempo e envia notificações para o usuário avisando quantos minutos faltam”, explica o diretor de desenvolvimento do Zona Fácil, Rithyelle Costa. Ele afirma que todas as empresas enviarão dados de pagamento para um software que os agentes da AMC terão acesso, para melhorar a fiscalização das vagas da cidade. 

Como o sistema entrará em fase de instalação, os cartões de papel ainda funcionarão pelos próximos três meses, de acordo com a assessoria da AMC. Além do aplicativo, pontos de venda físicos vão existir para que o novo sistema seja acessível a consumidores que não tenham celular ou não sejam confortáveis com a tecnologia. Esses usuários deverão comprar o Cartão Azul Digital (CAD). O município ficará com 80% dos valores arrecadados, enquanto as empresas ficam com os 20% restantes. Toda a renda recebida será encaminhada para investimentos na política cicloviária. 
 
Redação O POVO Online 
TAGS