PUBLICIDADE
Notícias

Drag queen denuncia agressão sofrida em festival de música de Fortaleza

A artista relata ter sido surpreendida pelas costas e jogada no chão, recebendo murros. Polícia Civil apura o caso

13:21 | 09/07/2018
NULL
NULL
[FOTO1]
O artista cearense e gerente comercial Neil Dias, 20 anos, estava com apresentação marcada no "Fica, vai ter festival pop", evento musical que aconteceu na Barraca Biruta, no último sábado, 7, quando teve sua noite interrompida por uma agressão. Montado de drag queen, como trabalha e se apresenta nas noites de Fortaleza, Dias relata ter sido jogado no chão e recebido socos.

"Eu estava trocando de roupa no camarim e fui sair para ir atrás de uma amiga por volta das 1h30min, quando a pessoa já veio puxando minha peruca. Aí eu caí no chão e ele montou em mim, me dando socos na minha barriga, na minha cara e no meu corpo todo", afirma o artista. 

O POVO Online não divulga o nome do suposto agressor por ainda não haver indiciamento e nem ter acontecido prisão em flagrante.

Incorporando a persona Lindsay Dreams, Neil teve sua noite encurtada. Ele faz parte do Coletivo Gandaia, uma formação que conta com várias drags de Fortaleza, e se apresentaria às 2h30min. "Minhas costas estão com um hematoma enorme, meu olho tá cortado e meu couro cabeludo também. Ele é um covarde.", relata.
 
[FOTO2]
A vítima diz que suas amigas a acalmaram e tentaram chamar o agressor para conversar, mas ele acabou sendo expulso da festa com um outro amigo. No dia seguinte, Neil Dias registrou Boletim de Ocorrência e acionou advogado para cuidar do caso. "Vamos entrar com processo. Não vou ficar calada".

Procurado pela reportagem, o suspeito não quis se manifestar: "Não tenho nada para falar". Por meio de nota, a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) informou que o B.O foi recebido noticiando lesão corporal dolosa (quando há a intenção de ferir). A pasta frisou que é importante que a vítima retorne à delegacia para dar continuidade às investigações.  

"Com os dados que serão colhidos acerca do fato, após representação da vítima, a Polícia Civil adotará as medidas cabíveis contra o agressor.", diz o texto.

Histórico

De acordo com Neil, a história entre ele o agressor já vem se desenrolando há algum tempo. "Minha relação com ele nunca foi direta. Ele trabalhava na empresa da minha mãe e acabou pedindo para sair e depois ficou falando mal e difamando minha mãe. Aí a gente se encontrou numa festa e fomos conversar. Ele ficou agressivo e me empurrou. Não revidei", conta.

O artista diz que, neste dia, não estava montado de drag queen. "Aí a pessoa aproveita que no dia do festival eu estava vulnerável, montada, de salto, com um monte de acessórios e coisas me apertando e chega para me atacar pelas costas. Isso é covardia", diz.

A ocorrência repercutiu nas redes sociais. O produtor da Gandaia e um dos organizadores do evento divulgou texto no Facebook repudiando o caso. "Compartilhem! Não vai ter silêncio aqui, não". O texto sai em defesa de Lindsay (Neil Dias) e expressa a indignação da organização com a denúncia da agressão. "Quanto a esse marginal, agora é caso de polícia. A justiça há de prevalecer!", frisa o organizador. 

Neil relata que os dias estão sendo difíceis. "Foi tão pesado pra mim porque é uma arte, é uma coisa que eu faço com amor. Ver todo o meu trabalho jogado no chão. O pior é que foi uma agressão feita por uma pessoa que sabe o que a minha drag representa para mim. Eu só sabia chorar no outro dia", comenta.

"Não vou me calar porque se ele fez isso comigo, fará como já fez com outros. Tem muito relato sobre ele na internet de pessoas que já foram agredidas por ele", finaliza a drag queen. 

TAGS