PUBLICIDADE
Notícias

Jovens denunciam ameaça de motorista de app na Parada LGBT em Fortaleza

Empresa informou que bloqueou o profissional do aplicativo após o ocorrido

19:39 | 27/06/2018
NULL
NULL
[FOTO1]
Um grupo de amigos que voltava da Parada Pela Diversidade Sexual do Ceará, realizada na Praia de Iracema, afirma ter sido ameaçado por um motorista do aplicativo de transporte individual 99 Pop. Ele teria se recusado a fazer a viagem e ainda teria descido do carro ameaçando o jovens e proferindo ofensas homofóbicas: "vou matar vocês, seus baitolas".  De acordo com um dos jovens, o suspeito teria feito sinal de que ia sacar uma arma, tentando assustá-los.

O caso aconteceu por volta das 23h30min desse domingo, 24. Talles Silva, 29 anos, era uma das pessoas do grupo e conta que logo após o ocorrido denunciou para a Central de Segurança do aplicativo. Ele relata ter sido atendido por um funcionário "ríspido e homofóbico". Um segundo atendente teria sido mais "legal". Foi recomendado que ele fizesse um Boletim de Ocorrência (B.O). No dia seguinte, ele se encaminhou ao 34º Distrito Policial (DP) no Centro, onde formalizou a denúncia. 

Por meio de nota enviada à reportagem, a 99 afirma ter bloqueado o motorista do aplicativo imediatamente após a denúncia. "Lamentamos que o passageiro tenha ficado insatisfeito e vamos investigar o que aconteceu, para melhorar nossos processos e garantir que isso não volte a ocorrer", diz o texto.
 
O caso
 
De acordo com Talles Salles, 29, ele, a irmã e mais dois amigos aguardavam o carro para voltar para casa após tentativa de pedir um carro da Uber. "A gente desistiu da Uber porque estava dando caro e acabamos pedindo o 99. Depois de um tempo, percebemos que o carro não se movia, o motorista estava demorando", comenta.

Após trocar mensagens com o funcionário da empresa, o produtor cultural disse que quando ele chegou ao local não destravou as portas, apenas abaixando o vidro. "Ele perguntou pra onde a gente ia e eu respondi 'pra Lagoa Redonda', aí ele disse que não ia deixar a gente. Então eu falei que ia denunciar e foi aí que ele se exaltou, saiu do carro e disse que ia matar a gente. Nós só corremos", relata.

Passado o trauma, Talles afirmou, em contato com O POVO Online, que vai tomar as medidas cabíveis contra a 99 POP. "Além de colocar minha vida em risco, fui super mal atendido. Era como se eu fosse o culpado. Eles pensavam que eu estava mentindo", declara.

Ainda na nota de posicionamento, a empresa pontua ainda que repudia atitudes homofóbicas e "qualquer tipo de preconceito". "Lamentamos profundamente o incidente e nos solidarizamos com o passageiro.". O app ainda ressalta que conta com equipe de segurança com mais de 30 pessoas trabalhando 24 horas por dia.
TAGS