PUBLICIDADE
Notícias

Jovem cearense é detido na Rússia e tem contato com a família proibido

Leonardo Pestana Dantas estaria internado em uma clínica psiquiátrica após apresentar comportamento violento no aeroporto; família e amigos negam que o rapaz seja agressivo

12:19 | 22/06/2018
O cearense Leonardo Pestana Dantas, 27, está detido em São Petersburgo, na Rússia, desde o dia 17 de junho. A família do estudante não tem informações sobre ele e relata que está impossibilitada de fazer contato com o brasileiro. Segundo a mãe do jovem, Fátima Maria Dantas, Leonardo viajou para o país com planos de aprender o idioma russo em abril. Após contratempos e confusões com a instituição que organizava o curso, o cearense acabou sendo detido no dia 13 de junho, mas logo foi liberado. No entanto, quando estava no aeroporto com o objetivo de voltar para o Brasil, Leonardo foi impedido de viajar. Ainda de acordo com Fátima Maria Dantas, ele teria sido internado em uma clínica psiquiatrica. 
  
A última vez que conseguiu falar com o filho, na segunda-feira, 18, Fátima Maria conta que a voz de Leonardo parecia "lesada". Ela diz temer a quantidade de medicamentos administrada pelos médicos russos. Segundo ela, a embaixada do Brasil na Rússia não dá detalhes sobre a situação do jovem e afirma que ele não pode viajar sozinho ou mesmo acompanhado. Anteriormente, eles teriam permitido a viagem contanto que Leonardo voltasse ao Brasil acompanhado, mas voltaram atrás. Um estudante de medicina teria se disponibilizado para fazer o trajeto e Fátima também pretendia acompanhar o filho, chegando a fazer um passaporte de emergência.
 
Leonardo teria que permanecer por mais duas semanas internado para ter um diagnóstico. "Eles têm que liberar meu filho para se tratar aqui, se ele tiver realmente com esses problemas", reclama Fátima. Ela diz que Leonardo nunca apresentou problemas psicológicos. A família também procurou o Itamaraty, mas não obteve resposta. A justificativa dada pela Embaixada do Brasil na Rússia à família do brasileiro é que Leonardo teria tido comportamento "subversivo e violento", sem explicar os motivos.
 
Pouco antes de ser detido, o jovem mandou áudios para a mãe contando que já tentava voltar para o Brasil e parecia calmo. Fátima conta que tentava convencer Leonardo a voltar para casa, já que ele não fazia mais o curso. Pelo áudio, ele disse que "teve um imprevisto e perdeu o voo". Depois disso, ele não voltou a entrar em contato pelo aplicativo de mensagens. A última vez que visualizou as mensagens foi no fim da tarde do dia 16. A família questiona a narrativa dada pela polícia e pela Embaixada, pedindo para escutar a versão do jovem. 
  
O estudante terminou uma graduação em Engenharia Ambiental pelo Instituto Federal do Ceará (IFCE) no ano de 2017. Decidido a fazer outra graduação, dessa vez em medicina, o jovem começou a pesquisar instituições. Pretendia fazer o curso na Rússia, apesar da vontade da mãe que ele estudasse em uma universidade local. Precisando aprender o idioma do país, a avó pagou pelo curso de línguas, no valor de R$ 10 mil.  
 
Leonardo, segundo relatos da família, chegou dias atrasado e decidiu esperar o início do mês seguinte para começar o aprendizado com outra turma. Depois de um mês de estudo, o jovem ainda tinha dificuldades de prender a língua, então buscou a instituição que organizava o curso para resolver o problema. Ele relatou à mãe que teve um desentendimento com os representantes da instituição, que julgaram a fala de Leonardo grosseira. O brasileiro foi levado à delegacia, prestou esclarecimentos e foi liberado. Depois disso, ele abandonou o curso no dia 13 de junho. 
 
A reportagem entrou em contato com o Itamaraty, que informou estar acompanhando a situação e prestando assistência cabível. Confira abaixo o posicionamento do consulado:
 
"O consulado temporário do Brasil em São Petesburgo e a embaixadora do Brasil em Moscou acompanham a situação do cidadão brasileiro, mantêm contato com seus familiares e prestam toda a assistência consular cabível.

Em atenção à Lei de Acesso à Informação e em respeito à privacidade do cidadão brasileiro, esta assessoria não está autorizada a fornecer informações pessoais sobre o caso." 
 
TAGS