"Quem foi embora foram as frutas podres do saco", dizem caminhoneiros que permanecem em greveNotícias de Fortaleza
PUBLICIDADE
Notícias


"Quem foi embora foram as frutas podres do saco", dizem caminhoneiros que permanecem em greve

Motoristas reagiram ao abandono de outros colegas de profissão, que até então integravam o movimento

09:44 | 30/05/2018
NULL
NULL
No nono dia de greve dos caminhoneiros, mais de 300 trabalhadores do setor estiveram concentrados na BR-116, em frente a Fábrica Fortaleza, no Eusébio, na tarde desta terça-feira, 29, para dar seguimento á movimentação que reivindica menor preço do óleo diesel. Motoristas reagiram ao abandono de outros colegas de profissão, que até então integravam o movimento.  

"A greve não enfraqueceu,  porque quem foi embora foram as frutas podres do saco", afirmou o caminhoeiro autônomo há 30 anos, Paulo Augusto, em entrevista ao O POVO Online. Os abandonos, entretanto, não fazem os remanecentes pensarem em desistência. "Com eles ou sem eles a gente vai continuar aqui", disse Augusto.
 
[FOTO1] 

Mesmo entendimento tem Marcos André, também caminhoneiro autônomo e na estrada há 39 anos. Ele diz que, em todos os meios, há os fortes e os fracos e que, infelizmente, não se pode segurar aqueles que não querem permanecer. "Estamos aqui pelo movimento pacífico. Ninguém está aqui para agarrar e brigar com ninguém", esclarece André. 

Em contato com a reportagem, agente da Polícia Rodoviária Federal (PRF), que não quis se identificar, informou que a fase de abertura na qual se encontra a greve é oriunda de acordo entre a PRF e lideranças do movimento, que estão instaladas na BR-116. Segundo o agente, as lideranças concordaram, nesta quarta-feira, 29, em liberar em todos os trechos do Brasil caminhões que não querem se manter em greve e os que passam pelos locais de bloqueio.
 
[FOTO2] 

O caminhoneiro Jozivan dos Santos rebate o informante da PRF. Disse que este acordo se deu apenas em alguns trechos de rodovias federais no País, mas que, nos demais pontos, o ritmo segue o mesmo. "Não é bem como está sendo dito, não. Vitória da Conquista, na Bahia, Feira de Santana e Jaboatão dos Guararapes (município de Pernambuco) não está passando nada". 
 
[SAIBAMAIS] 

Santos disse ainda que os "verdadeiros guerreiros não fogem da luta, não, vão até o fim". Ele entende que a manifestação tem fôlego para continuar pelo tempo que se entender necessário. "Um mês, se precisar". Conforme Santos, a redução de R$ 0,46 no preço do óleo diesel, anunciada por Michel Temer no último domingo, 27, de nada serve. "Porque em dois meses subiu mais de R$ 1. Como agora vai resolver?". 

A reportagem também visitou a CE-040, no Quarto Anel Viário. Não foram detectados pontos de bloqueio. Uma viatura da Polícia Militar, no acostamento, confirmou a ausência destes pontos. 
TAGS