PUBLICIDADE
Fortaleza
Em 2018

Dez projetos irão orientar a 2ª fase da reforma na Saúde do Ceará

Apesar de relativizar os problemas enfrentados nos hospitais públicos do Estado, secretário afirma que o modelo adotado irá atuar diretamente na prevenção dos casos extremos que chegam às unidades

11:30 | 09/02/2018

Secretário de Saúde do Estado do Ceará
Propostas para reforma na saúde pública do Ceará estão sendo feitas com consultor internacional da Organização Mundial de Saúde (OMS) (Foto: Italo Cosme)
 
Dez projetos estratégicos estão sendo elaborados para a reforma no sistema de saúde do Ceará. Na segunda etapa, o Programa de Expansão e Melhoria da Assistência Especializada à Saúde do Estado do Ceará (Proexmaes II) foca na atenção primária e no empoderamento do paciente, segundo o secretário da saúde do Estado do Ceará, Henrique Javi.

As estratégias estão sendo feitas em colaboração com Rafael Bengoa, consultor internacional da Organização Mundial da Saúde (OMS) e ex-ministro da saúde do País Basco. Segundo Bengoa, o estado precisa mudar o modelo utilizado e ser pró-ativo e preventivo. O ex-ministro afirma que a população do Ceará envelheceu e isso requer mais recursos e um novo modelo de atuação. “Se atuar de forma correta, o Ceará pode se tornar um modelo de administração de saúde pública na América Latina”, garante. 

Novo modelo

Para o secretário Henrique Javi, “utilizar a emergência para mensurar o sistema de saúde é equivocado. "Oque mensura o sistema é o que é feito dentro das unidades de saúde”, diz. Apesar de relativizar os problemas enfrentados nos hospitais públicos do Estado, Javi afirma que o modelo adotado irá atuar diretamente na prevenção dos casos extremos que chegam às unidades. 
As filas de espera, a presença de pacientes nos corredores dos hospitais e o alto atendimento das UPAs diminuirão com a assistência dada aos pacientes no atendimento primário, de acordo com Javi. Segundo ele, “dos 500 atendimentos realizados na UPA da Messejana, 400 poderiam ser resolvidos na unidade básica de saúde”. Por isso, a meta da reforma é dar autonomia e orientação aos pacientes, além de agregar um novo elemento nas discussões sobre saúde pública: como faz para prevenir?”, afirma.  

Disputa por territórios

Em relação à inserção da Secretaria da Saúde do Estado do Ceará em áreas onde há uma disputa por territórios entre as facções, a alternativa será qualificar o entendimento da realidade da população que é atendida. “A atenção primária tem um papel que não é só sanitário, mas também social. Ao entender a realidade desse cidadão, a atenção primária funciona como indicador de quais políticas públicas devem ser implementadas”, diz Javi. 

Veja os 10 projetos para a 2ª fase da reforma na saúde do Ceará: 
1- Fortalecimento da atenção primária, com a organização de uma rede de cuidados integrados, além do desenvolvimento de um modelo de governança
2 - Ativação e empoderamento do paciente
3 - Reforço do potencial de promoção e prevenção
4 - Eliminação de desperdícios
5 - Remodelagem da Sesa
6- Novas intervenções da assistência farmacêutica
7- Projeto diagnóstico e funcional de um sistema de base de informação para a população
8 - Reforço da capacidade técnica, gestão e liderança
9 - Desenvolvimento de tecnologias visando a implementação do novo sistema
10 - Prevenção de doenças infecciosas emergentes.

ITALO COSME