PUBLICIDADE
Notícias

Confira algumas dicas para lidar bem com a ansiedade na semana do Sisu

A psicóloga escolar Débora Araújo dá dicas de como contornar os pensamentos ansiosos

15:57 | 24/01/2018

O site do Sisu recebe esta semana a visita de inúmeros estudantes ansiosos que buscam a tão sonhada vaga na universidade. É comum nessa época que os candidatos passem o dia inteiro verificando suas notas do Enem e a colocação que estão nos cursos. Isso traz muita ansiedade e desconforto para os jovens que focam obsessivamente nos resultados, prejudicando a saúde mental.
O POVO Online conversou com a psicóloga escolar Débora Araújo e preparou dicas de como contornar os comportamentos ansiosos nesta semana.

Não adianta quebrar o F5

Sem dúvidas, o momento do Sisu envolve muita expectativa. Não ter controle da situação é o que mais gera desconforto nos estudantes. Entretanto, olhar incessantemente as notas não irá provocar uma mudança no cálculo do site. A dica da psicóloga é manter uma conversa interna. “Se pergunte qual o objetivo dessa ação. Isso vai adiantar de alguma coisa?” A ansiedade traz uma necessidade de agir por impulso, visando somente eliminar a inquietude. Mas isso dura pouco e logo a vontade de atualizar a página aparece novamente. Sair desse ciclo vicioso é o primeiro passo para acalmar a mente.

Curiosidade e ansiedade caminham juntas

Olhar o site vai ser inevitável e natural. Portanto, criar uma rotina em torno disso pode ajudar. Limitar-se a olhar somente no horário que o Sisu disponibiliza as novas notas de corte parciais e mais outra vez durante o dia facilita a mente a não ficar focada somente nisso. Para muitos, as aulas do cursinho e a retomada dos estudos já é uma realidade. Débora afirma que continuar fazendo as atividades normalmente, mesmo que com a atenção dividida, é fundamental. “Não cobre um rendimento ótimo esses dias, é natural que a produtividade não seja a melhor”. Segundo ela, é importante aceitar os pensamentos ansiosos, mas não agir em função deles. Continuar a cumprir demandas do dia a dia ajuda a manter a mente ocupada.

Autocuidado em primeiro lugar

A ansiedade é uma condição corporal que acelera o corpo. Por isso, é comum sentir a vontade de “colocar para fora” a energia. Uma corrida, andar de bicicleta ou uma simples caminhada libera endorfinas e proporciona sensação de bem estar. Cuidar da alimentação também é um ponto geralmente esquecido nesse momento. O embrulho no estômago que a ansiedade dá pode ser confundido com a fome. Comer compulsivamente é uma prática que só alimenta os pensamentos ansiosos. Além disso, dormir uma quantidade razoável de horas melhora o metabolismo e deixa a mente mais preparada para lidar com as emoções da semana. Fazer o que proporciona prazer, como sair com amigos e assistir séries, também contribui para o autocuidado.

Familiares e amigos
É natural que todos estejam comentando sobre notas, colocações e vagas. Aceitar que isso é inevitável é o primeiro passo para aprender a lidar com a situação. Pedir que familiares e amigos perguntem menos sobre o assunto, não visualizar todas as mensagens do grupo do cursinho e sair com pessoas que não estejam passando pelo mesmo processo são algumas das ações que podem diminuir a ansiedade. “Entenda que seus pais e amigos torcem muito por você e querem o seu melhor. Entretanto, saber filtrar os comentários deles é preciso”, afirma a psicóloga. Nesse momento, a divulgação de fake news é certamente uma preocupação. Checar as fontes antes de criar fantasias ansiosas sobre o assunto discutido é uma forma de evitar desgastes.

TAGS