PUBLICIDADE
Notícias

Clientes registram BO após agressão na Guarderia Brasil

10:09 | 12/12/2017
NULL
NULL
[FOTO1]Clientes que foram vítimas de agressão na Guarderia Brasil registraram Boletim de Ocorrência (B.O.) contra o estabelecimento. De acordo com a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), o caso de lesão corporal dolosa na Praia do Futuro, foi registrado no plantão do 9ª Distrito Policial, no bairro Vicente Pinzón, nesse domingo 10.

No último sábado, 9, as vítimas, que haviam acabado de sair da barraca, foram agredidas física e verbalmente por seguranças particulares terceirizados após tentarem retornar para encontrar uma irmã. O momento da agressão foi registrado em vídeo e viralizou nas redes sociais.

Conforme a SSPDS, o caso ocorrido na Área Integrada de Segurança 10 (AIS 10) foi transferido para o 15º DP, no bairro Cidade 2000, que ficará responsável pelas investigações. Em nota, a pasta informa que as imagens das agressões gravadas no local são de conhecimento da Polícia Civil. 

Em relato no Facebook, Vinicius Silverio conta que conseguiu entrar de volta, mas foi retirado à força por quatro seguranças. Os funcionários já teriam chegado agredindo fisicamente e proferindo termos racistas. "Me derrubaram no chão, quebraram meu iPhone. Minha irmã, ao ver o tumulto, se desesperou", escreveu.

O que mostram as imagens
Os vídeos mostram Vinicius deitado no chão quando as irmãs, Milena e Rafaele, se aproximam dos seguranças. Um guarda bate em uma das mulheres, que cai no chão. É possível ouvir ele dizer "sai daqui, doida". O irmão é empurrado novamente pelo segurança ao tentar levantar e é chutado repetidas vezes por outro homem que também seria um segurança. 

O que diz a empresa
Em nota, a Guarderia diz que "lamenta profundamente" e que está apurando o caso para tomar as providências necessárias. Ainda conforme o texto publicado nas redes sociais, a empresa "repudia qualquer tipo de conduta que resulte em agressão, sob qualquer circunstância". 

Já o advogado da empresa, Fernando Férrer, considera a possibilidade de caso ser uma "armação". Conforme Férrer, as imagens divulgadas não estão completas. "Vamos fazer um procedimento para identificar os envolvidos e apurar o que o aconteceu", disse. "Vamos apurar até para saber se não se trata de uma armação".
 
[VIDEO1] 
TAGS