PUBLICIDADE
Notícias

Cirurgias eletivas continuam suspensas na Santa Casa de Fortaleza

Os 1.700 pacientes que aguardam cirurgia correm risco enquanto instituição espera recursos suficientes; Sesa afirma ter liberado verba para atender à demanda

14:03 | 07/11/2017
NULL
NULL

[FOTO1]Quase um mês após a suspensão das cirurgias eletivas na Santa Casa da Misericórdia de Fortaleza, o clima ainda é de incertezas. A falta do repasse de recursos e a defasagem da tabela do Sistema Único de Saúde (SUS) culminaram na redução de 40 para 10 cirurgias eletivas diárias, colocando em risco a vida de 1.700 pacientes de média até alta complexidade que aguardam na fila.

 

O provedor da Santa Casa de Fortaleza, Luiz Nogueira Marques, explica que o repasse no valor de R$ 382 mil, que era destinado para realizar os procedimentos, foi suspenso pela Secretaria da Saúde do Estado do Ceará (Sesa). "A Santa Casa atravessa um dos maiores problemas financeiros dos últimos tempos, com cortes na área da saúde, atendimentos cirúrgicos estiveram paralisados desde o dia 13 de outubro", explica.

 

Ele destaca que a suspensão total poder ocorrer novamente até o próximo dia 15, período em que o recurso atual esgota. "No dia 13 de outubro, todas as cirurgias que estavam marcadas junto ao Sistema Único de Saúde (SUS) foram suspensas e retomadas em novembro, sendo em menor número", lembra. "Se o teto dos recursos oriundos do SUS for atingido por volta do dia 15 de cada mês, as cirurgias serão suspensas novamente", enfatiza. 

 

De acordo com o cirurgião da Santa Casa, Marcelo Esmeraldo, 90% dos pacientes que aguardam atendimento são afetados. "Se antes, eu fazia 40 cirurgias, agora, não consigo fazer 10", relata. Com objetivo de pressionar as Secretarias Municipal e Estadual de Saúde, ocorreu uma paralisação das atividades do ambulatório e centro cirúrgico no último dia 25, realizada pelo Sindicato dos Médicos do Estado do Ceará (Simec).

 

Segundo Esmeraldo, a mobilização trouxe perspectivas para um acordo com o Estado, mas ainda há espera por respostas concretas. “Não resolveu, porém, abriu uma porta para o diálogo”, destaca. “Estamos aguardando resposta até o fim desta semana, mas precisamos de urgência, estamos em estado de alerta”, aponta.

 

O que diz a Sesa

 

Em nota, a Sesa afirmou que a "Santa Casa de Misericórdia de Fortaleza recebeu, de janeiro deste ano até 6 de novembro passado, cerca de R$ 6,2 milhões referentes ao convênio para cirurgias eletivas, convênio para procedimentos de colecistectomia (retirada cirúrgica da vesícula biliar) e ao repasse do recurso que recebe mensalmente como hospital estratégico.
Há ainda R$ 68.347,48 a serem pagos na primeira quinzena deste mês, referentes a ajustes de contas dos dois convênios anteriormente citados. Já o repasse mensal de R$ 450 mil reais para a Santa Casa de Misericórdia, pelos serviços de hospital estratégico, está em dia. O próximo a ser pago será deste mês".
 


Redação O POVO Online
TAGS