PUBLICIDADE
Notícias

Vítimas relatam arrastões e tiroteio na comunidade do Lagamar

Secretaria da Segurança confirmou a ocorrência, já a Polícia Militar que atua na área afirmou desconhecer os fatos

15:48 | 19/10/2017
NULL
NULL

[FOTO1]A comunidade do Lagamar, situada no bairro São João do Tauape, foi cenário de arrastões e tiroteios na noite dessa quarta-feira, 18. Umas das vítimas, que teve o carro em que estava atacado com tiros e pedras, chegou a fazer um vídeo alertando para as pessoas não passarem na região. A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) confirmou a ocorrência, já a Polícia Militar que atua na área afirmou desconhecer os fatos. Por motivos de segurança, as vítimas terão as identidades preservadas pelo O POVO Online.

No vídeo de 17 segundos, a passageira de um táxi mostrou como o carro ficou após ser atacado ao entrar na região do Lagamar e denuncia que os bandidos fecharam uma parte da via com concreto. “Pelo amor de Deus não passem pelo Lagamar! A gente acabou de ser alvejado por um monte de pedras. Eles (bandidos) fecharam aquela passagem e estão com armas”, afirma no vídeo.

A vítima, responsável pelas imagens, informou que a passagem citada é uma entrada da avenida Raul Barbosa, próxima a um posto de combustível, que dá acesso para a comunidade. O caso aconteceu por volta das 19h30min.

“Estava voltando do trabalho, quando o taxista saiu da avenida Raul Barbosa e entrou na avenida próxima ao canal, tinha dois homens no meio da via apontando a arma para o carro e a rua estava fechada com partes de concreto”, relata.

Conforme a vítima, o motorista do táxi acelerou o carro e conseguiu passar por um espaço. Depois disso, o carro foi atacado por vários homens com pedras e tiros. “Escutei barulhos de tiros e pancadas das pedras no carro. Só fiz baixar a cabeça para me proteger e comecei a gritar pedindo para o motorista não parar e rezando para Deus nos proteger”, disse.

De acordo com a vítima, os ataques só cessaram após o veículo sair da região e chegar na avenida Borges de Melo. “Apareciam homens de todo lugar jogando coisas no carro, enquanto isso, a população que estava na rua ficava só assistindo, como se nada estivesse acontecendo”.

Devido as pedras, o vidro dianteiro do carro quebrou e a vítima chegou a engolir estilhaços. Ela recebeu atendimento em um hospital, passa bem e ainda não sabe se irá fazer um Boletim de Ocorrência. “Até agora não consegui dormir, pois a todo momento lembro daquela cena”.

[FOTO2]Em outro caso, também ocorrido na região, a irmã de uma pessoa que foi atacada contou que a vítima estava voltando do trabalho e ao subir o viaduto em direção a BR-116, perto da avenida Borges de Melo, foi atacada por cerca de três homens, que se jogaram na frente do carro. “Ela acelerou, aí eles jogaram um pedaço de concreto no pára-brisas”, disse.

[FOTO3]Apesar do susto, a vítima conseguiu fugir. “Ela desviou o rosto e a pedra acertou o ombro dela”. A vítima foi para um hospital particular de Fortaleza e passa bem. Ela ainda não registrou o Boletim de Ocorrência.

No terceiro caso, a vítima relatou que estava indo para a igreja com a namorada, quando o carro ficou preso em um congestionamento em uma via nas margens do canal que passa pelo local, e três adolescentes tentaram puxar o celular da mulher. “Como não vi armas, puxei o celular de volta e consegui sair do local”, disse.

 

Uma quarta vítima também foi atacada na mesma avenida do canal, mas ela não conseguiu fugir e os bandidos levaram a bolsa com os pertences e o aparelho celular.

 

Além dos relatos, circularam áudios em grupos de WhatsApp de outros casos de pessoas que teriam sido assaltadas ou tiveram o carro atacado na comunidade. O POVO Online apurou, que mais de 30 disparos foram ouvidos na região.

Policiamento reforçado
O POVO Online entrou em contato com o major Ideraldo Bellini, comandante da 3ª Companhia do 8º Batalhão da Polícia Militar, que atua na região. O major informou que não houve arrastão na comunidade, e sim, que bandidos jogaram pedras nos carros em represália a prisão de um traficante da comunidade, realizada na última segunda-feira, 16. “Jogaram pedras nos veículos a mando dele (traficante), que está preso. E foi na parte da Aerolândia”, afirma.

Apesar dos relatos de mais de 30 disparos apurados pelo POVO Online, Bellini disse desconhecer o caso e informou que não houve registro da ocorrência.

Em nota, a Secretaria da Segurança informou que a ação criminosa ocorrida ontem, 18, é uma represália à ocupação policial no território, que trabalha no combate às práticas ilícitas na comunidade.

De acordo com a Secretaria, a Polícia Militar do Estado do Ceará (PMCE) vem realizando a intensificação do policiamento ostensivo na região do Lagamar, no bairro São João do Tauape, a partir do patrulhamento com forças especializadas e permanentes. Além do patrulhamento já existente, que é realizado por viaturas do Policiamento Ostensivo Geral (POG) e Força Tática, composições do Comando Tático Motorizado (Cotam) do Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque) foram enviadas para auxiliar na segurança.
 
Ainda segundo a SSPDS, os casos estão sendo investigados pelos 4° e 13° Distritos Policiais da Polícia Civil do Estado do Ceará e estão sendo realizadas diligências “no intuito de identificar os partícipes dos crimes, bem como prendê-los”. A Secretaria reforça que a população pode ajudar a Polícia denunciando a prática criminosa que tenha conhecimento, pelo disque-denúncia da SSPDS, no número 181, com sigilo garantido.

 

Veja vídeo:

[VIDEO1] 

 

Redação O POVO Online

TAGS