PUBLICIDADE
Notícias

Entidade denuncia agressão da Guarda Municipal contra jovens e crianças no Cuca Jangurussu

A GMF confirma que houve "uso progressivo da força", incluindo balas de borracha. Equipamento funciona aos domingos a partir das 14 horas, horário após o conflito

22:00 | 16/10/2017
NULL
NULL

[FOTO1] 

O Fórum Jovens Jangurussu publicou, nesta segunda-feira, 16, nota de repúdio denunciando suposta agressão da Guarda Municipal de Fortaleza (GMF) contra crianças e jovens que usavam a piscina do Cuca Jangurussu, na tarde desse domingo, 15. A nota informa que o grupo foi expulso do equipamento pelos guardas, que teriam utilizado balas de borracha na ação. A GMF confirma que houve "uso progressivo da força", incluindo balas de borracha.

Em nota, o Fórum diz que os guardas iniciaram a expulsão por volta das 13 horas, sem qualquer diálogo. Bia Oliveira, 25, integrante do Fórum, conta que cerca de 30 crianças e jovens estavam na piscina do equipamento durante a ação. "O Cuca no dia de domingo só abre às 14 horas, mas a galera da comunidade tem acesso e foi se divertir na piscina. A Guarda estava no horário de almoço, mas depois voltou com tudo. Atiraram balas de borracha e botaram os meninos para correr", narra.

Após a suposta expulsão, Bia explica que as pessoas que estavam no Anfiteatro do equipamento passaram a ser revistadas. "Nessa hora, eu estava saindo. Tava chegando muito guarda, ninguém podia nem olhar eles, que já perguntavam o que era, mandaram ir embora", afirma ela.

De acordo com o Fórum, não há diálogo por parte da Rede Cuca, e os jovens acabam sendo expostos a um contexto de violência. "Não chamam esses jovens para conversar, mas abrem espaço pra Guarda, que chega atirando com bala de borracha. Não foi tiro pra cima nem pra baixo, foi na direção das crianças", diz um jovem de 25 anos que prefere não se identificar.

A fonte explica ainda que essa ação demonstra desrespeito dos direitos das crianças e adolescentes. "Esses jovens, que deveriam se sentir protegidos, acabam tendo medo dos agentes de segurança. Não querem oferecer proteção, chegam agredindo", acusa o jovem de nome preservado. 

Em nota, a Guarda Municipal informou que o grupo de jovens entrou no equipamento sem autorização enquanto a piscina passava por tratamento de limpeza. A equipe teria solicitado para os jovens saírem, mas o pedido não foi atendido. "Houve um princípio de tumulto e a equipe teve que chamar reforço que fez a dispersão. Pela resistência apresentada houve a necessidade de uso progressivo de força, culminando com a utilização de bala de borracha", diz a nota. A Guarda destaca que casos de "supostos abusos" podem ser denunciados pela ouvidoria.

 

O que diz a Coordenadoria de Juventude

 

A Coordenadoria de Juventude, que gere os Cucas, informou por meio da asessoria de imprensa que o equipamento estava fechado no momento da ocorrência e que a piscina passava por tratamento de limpeza. A Rede Cuca funciona das 8h às 22 horas, de terça a sábado. No domingo, o horário de funcionamento é de 14h às 18 horas.

 

As aulas de natação são disponibilizadas para jovens de 15 a 29 anos, além de turmas para pessoas acima dessa idade. Aos sábados, adolescentes de 12 a 14 anos também podem fazer aulas de natação. "Por questões de segurança, é necessário que o aluno tenha noção básica de natação. Também é solicitado exame médico, que pode ser realizado no núcleo de saúde da própria Rede Cuca", diz a Coordenadoria.

 

Ainda conforme a Coordenadoria, é permanente o diálogo com a juventude em relação a utilização do Cuca por meio do Fórum de Jovens e do Conselho Consultivo. "Além disso, os jovens podem também acessar uma ferramenta eletrônica disponibilizada por meio do portal da Prefeitura, chamada “Acesso Cuca”, por meio do qual ele pode solicitar espaços diversos da Rede Cuca para a realização de atividades", conclui.

 

 

Redação O POVO Online

TAGS