PUBLICIDADE
Notícias

Escola com obra abandonada é invadida e tem merenda escolar e equipamentos levados

Os invasores arrombaram salas e armários dos professores

11:36 | 26/09/2017
NULL
NULL

[FOTO1]A Escola de Tempo Integral (ETI) Professora Antonieta Calls, no bairro São João do Tauape, teve a merenda escolar, fardas e equipamentos de educação física levados durante uma invasão ocorrida durante o fim de semana. De acordo com a doméstica Liduina Luzia do Nascimento Souza, mãe de dois alunos que estudam na unidade, o fato foi comunicado aos estudantes na manhã de ontem, 25, pelo novo diretor da unidade.

 

 

Conforme Liduina, os invasores arrombaram salas e armários dos professores. Eles teriam levado bolas utilizadas nas aulas de educação física, fardas e alimentos. Para ela, a invasão pode ter sido facilitada devido a um buraco no muro da unidade, causado por conta de uma obra inacabada na ETI, que está tampado apenas por tapumes de madeira e alumínio.

Ainda segundo a doméstica, não é a primeira vez que a escola Antonieta Calls é vítima da insegurança. Em outra ocasião, a escola teve as câmeras e o material do almoxarifado roubados em dois ataques diferentes. "É assustadora a vulnerabilidade desta escola", afirma.

De acordo com o major Hideraldo Bellini, comandante do policiamento na área, ele não foi informado sobre a invasão da escola Antonieta Calls no fim de semana. Segundo Bellini, a segurança na região é feita por uma viatura. O POVO Online tentou obter informações sobre os casos anteriores com a delegacia da área, mas as ligações não foram atendidas.

 

Em nota, a Secretaria Municipal de Educação (SME) informou que irá registrar um Boletim de Ocorrência, para a apuração policial. Conforme a Secretaria, o diretor está contabilizando os itens que foram levados.

 

Segundo a SME, a escola conta com um porteiro diurno e dois noturnos e os pontos do muro por onde ocorre a retirada de entulhos estão sendo reforçados com paredes de alvenaria.

 

Com relação à falta de câmeras de segurança devido a um ataque anterior, a Secretaria de Educação informou que está sendo relaizado um processo licitatório, para a instalação de novos equipamentos.

A SME ressaltou que o edital de licitação para a obra e ampliação da ETI será publicado ainda neste mês, mas não definiu a data.


Obra inacabada

Além da insegurança, a ETI Antonieta Calls também passa por problemas na infraestrutura. No último dia 11, Liduina Souza denunciou que a cozinha da escola municipal estava funcionando dentro do laboratório de ciências e a quadra esportiva estava servindo de refeitório improvisado.
 
De acordo com a doméstica, a situação se estende desde 2015, quando a Secretaria Municipal de Educação (SME) deu início a uma reforma. A obra foi interrompida pouco tempo depois e até hoje não foi retomada. Os materiais de construção que seriam usados na reforma da unidade também estavam armazenados sem proteção nem segurança. Atualmente a escola atende 245 estudantes, do 6º ao 9º ano, em tempo integral.

Em nota enviada na ocasião, a SME informou que a obra de reforma e ampliação da ETI Antonieta Calls foi paralisada após a construtora responsável abandonar o serviço. Uma nova licitação será realizada neste mês de setembro, porém o edital ainda não foi lançado. A previsão é que os trabalhos sejam retomados até novembro, com prazo de entrega para o primeiro semestre de 2018. A obra prevê reforma no refeitório, auditório, vestiário, quadra, além de instalação de casa de gás e de lixeira.

Na ocasião, a Secretaria não se pronunciou sobre as denúncias feitas pela mãe dos alunos. A Secretaria também não informou quando as obras na escola Antonieta Calls foram iniciadas e há quanto tempo estão paralisadas.

Após as denúncias, o então diretor da unidade educacional e a coordenadora foram exonerados. Conforme a SME, a saída dos servidores não teve relação com as obras atrasadas e foi ocasionada por conta de avaliações realizadas pela Secretaria, que definem se os profissionais continuam ou não nos cargos.

[FOTO2] 

TAGS