PUBLICIDADE
Notícias

Cerca de 700 servidores da Educação estão com salário retido, denuncia sindicato

Situação ocorre após obrigatoriedade imposta aos servidores para abertura de contas no Bradesco. A Seplag alega que servidores que não seguiram as novas regras já foram alertados e estão providenciando a abertura de conta

19:55 | 01/09/2017

Cerca de 700 servidores da Educação, entre efetivos e temporários, tiveram pagamento retido neste mês, conforme denúncia do Sindicato dos Professores no Estado do Ceará - Apeoc. A categoria culpa a Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag) por impor a abertura de conta no banco Bradesco. Tanto os clientes do Bradesco, como os funcionários que recebiam o salário pelo Banco do Brasil foram atingidos, conforme o sindicato.

O vice-presidente do sindicato APEOC, Reginaldo Pinheiro, diz que a medida foi abrupta. "O servidor foi surpreendido sem a verba a limentar. Nós lamentamos, porque a questao só deve ser resolvida na segunda-feira. Criticamos governo por submeter o servidor a situação vexatória, causando prejuízo”, avalia.

Segundo o sindicato, os servidores relataram o problema e, por isso, a questão já foi comunicada à Secretaria da Educação do Ceará (Seduc). A obrigatoriedade dos servidores abrirem conta no Bradesco consta no Ofício Circular de N° 46/2017 de 23 de junho de 2017.

A orientação dada pela Seduc é para os profissionais da Educação procurarem a agência Bradesco mais próxima para abrir uma nova conta corrente. Os dados devem ser informados às Coordenadorias Regionais de Desenvolvimento da Educação o mais rápido possível para regularização do cadastro e liberação do pagamento. Após a abertura de conta no Bradesco, o servidor poderá solicitar a portabilidade para outros bancos.

Resposta
Em nota, a Secretaria do Planejamento e Gestão do Estado do Ceará (Seplag) disse que os salários dos servidores estaduais relativos ao mês de agosto de 2017 foram depositados no primeiro dia útil do mês subsequente. A secretaria admite que um grupo de cerca de mil servidores das secretarias da Educação e da Saúde e da Polícia Militar do Ceará precisam ter seus benefícios redirecionados para outras agências bancárias. Essa quantidade, conforme a Seplag, representa menos de 1% (0,000625%) da folha de pagamento do Estado.

“O fato é resultado de determinação do Poder Executivo Estadual, que estabeleceu que todos os servidores deveriam providenciar conta no Banco Bradesco até o dia 9 de agosto de 2017 para receberem seus pagamentos. Vale ressaltar que a decisão vem sendo reforçada junto a todos os órgãos e secretarias do Estado ao longo do último ano, através de Oficio Circular que começou a ser distribuído pela Seplag em setembro de 2016. Os cerca de 1.000 servidores que não seguiram as novas regras já foram alertados e estão providenciando a abertura de conta no Bradesco, podendo optar pela portabilidade para o banco de sua preferência. Em seguida, com o cadastro dos dados da nova conta no setor de recursos humanos de seu órgão ou secretaria de origem, terão a situação regularizada”, completa.

Redação O POVO Online

TAGS