PUBLICIDADE
Notícias

Policial concorre ao prêmio Heróis Reais com projeto para jovens da periferia de Fortaleza

Agentes da segurança do Ceará trabalham como voluntários em projetos sociais no Ceará; conheça as ações

19:09 | 21/08/2017
NULL
NULL

[FOTO1]O policial militar do estado do Ceará, Leonardo Marcio Santos de Mesquita, está entre os selecionados para concorrer ao prêmio Heróis Reais, que valoriza ações inovadores e de bravura de agentes da segurança em todo o Brasil.
  
Com o projeto Grupo de Voluntários Guardião Juvenil, que auxilia adolescentes da periferia, o militar realiza palestras, enontros para formação de cidadãos mais críticos e conscientes dos direitos e deveres da sociedade. O projeto atende pelo menos 400 jovens de 13 a 21 anos de idade.

Conforme a assessoria de imprensa do Hérois Reais, o prêmio é idealizado pelo instrutor Marcos do Val, que é credenciado pela Swat, nos Estados Unidos, há 17 anos, e tem apoio da marca de armas Tauros. As seleções ocorrem em cinco regiões e Leonardo foi selecionado por uma comissão para participar com mais cinco agentes de todo o Nordeste.

[FOTO2] Segundo Marcos do Val, a categoria inovação remete a um projeto inovador que tenha gerado benefícios com a sociedade, como o trabalho com crianças carentes e que diminuam os índices de criminalidade. "Projetos que atraiam a sociedade e saiam da rotina a qual o policial é formado para trabalhar", disse.

 Já a categoria de Bravura, segundo Marcos do Val, é relacionada a história de profissionais que colocaram a vida em risco para salvar outras vidas. Os ganhadores da selecão regional devem receber uma viagem com despesas pagas para as serras gaúchas. Já o ganhador nacional, cujo finalistas serão escolhidos no fim deste ano, vão receber uma viagem para os EUA e uma visita à Swat e ao evento de Shot Show, em Las Vegas.

 Conforme Marcos do Val, durante os 17 anos trabalhando com a Polícia americana, a percepção é que nos EUA o policial é reconhecido como um verdadeiro héroi e que não vê o mesmo no Brasil. "Por isso vamos deixar o voto popular, para a população escolher quem considera herói", disse.

 "Vendo a cultura americana, eu quis trazer isso para o Brasil. O agente americano ele fala que doa a própria vida pela sociedade, pois sabe que a sociedade reconhece o trabalho dele. E eles falam que não sabem como os policiais brasileiros fazem isso se não são valorizados, mesmo assim ainda fazem trabalhos heróicos", disse.

 

Outros projetos do Ceará 

 

Agentes da segurança  trabalham como voluntários e coordenam projetos sociais para crianças e adolescentes

 

[FOTO4] Apesar de não participar do concurso, o Ceará conta com diversos agentes da segurança que criaram projetos semelhantes.  Acolhido pela Polícia Militar do Estado do Ceará, o projeto Arte Suave completou um ano em junho. A ação consiste em dar aulas de judô e jiu-jítsu, com ensinamentos em artes marciais tanto na parte teórica como prática. A iniciativa dos policiais da 1ª Companhia do 8º Batalhão da Polícia Militar beneficia 76 crianças e começou em 2015 e foi idealizado pelo sargento Napoleão Cavalcante, faixa preta em jiu-jitsu, que começou sem apoio algum.

 

[FOTO3]Já em São Gonçalo do Amarante, na Região Metropolitana de Fortaleza, todos os sábados 438 crianças e jovens de 11 a 16 anos vão até a escola Socorro Gouveia, onde participam do projeto Guarda Mirim, às 8 horas e permanecem até às 11 horas. Pelo menos 15 policiais militares e guardas municipais de São Gonçalo participam do projeto de forma voluntária.

 

O coordenador, major Everton Farias, disse que o projeto é da Guarda Municipal por meio da Prefeitura de São Gonçalo. "Dentro do projeto temos crianças com autismo, hiperatividade, todas em situação de vulnerabilidade e recebemos demandas do Ministério Público e do Conselho Tutelar", disse.

 

Conforme o oficial, as ações são voltadas para o crescimento pessoal, com palestras, clube de leitura e projeto varal solidário, que arrecada roupas para um bazar em que as vestimentas são distribuídas gratuitamente para a comunidade. Além disso, as crianças fazem passeios como uma visita à Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer).

 

Distante a 158 quilômetros de Fortaleza, no projeto Quartel de Portas Abertas, coordenado pelo sargento da PM Cleilton Siqueira, as crianças aprendem capoeira, vôlei, karatê e futebol. Parte das atividades acontece no quartel da 1ª Companhia do 9º Batalhão da Polícia Militar (BPM) e outra parte na maçonaria. O único requisito é apresentar boas notas na escola. 

 

Especialista

 

Para o sociólogo e pesquisador do Laboratório de Estudos da Violência (Lev), Marcos Silva, em relação ao concurso que vai beneficiar as ações de inovação entre policiais militares, policiais civis, guardas municipais e agentes penitenciários são fundamentais para o entendimento da segurança pública, que deve ser ampliada do conceito de ostensividade.


O especialista ressalta que os projetos necessitam de apoio da Secretaria da Segurança Pública (SSPDS) e do governo do Estado. "Esses policiais fazem de bom grato, eles também vivem em bairros periféricos onde a criminalidade é elevada e as ações são tomadas do principio humanista", diz.

TAGS