PUBLICIDADE
Notícias

Movimento social cobra moradias em ato na Praia de Iracema

Militantes propõem a criação de um fundo para construção de moradias populares destinadas à população carente. Concentração para o protesto está prevista para as 7 horas, no Aterro

13:40 | 19/07/2017

Cobrando moradias e políticas de inclusão social, o Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) no Ceará realizará ato na manhã desta quinta-feira, 19, na Praia da Iracema. A concentração está prevista para as 7 horas, no Aterro, de onde os manifestantes devem iniciar passeata pela avenida Beira Mar. O movimento cobra ainda a entrega de 400 lotes em residenciais do Minha Casa, Minha Vida (MCMV).

Ao todo, estão sendo aguardadas 200 moradias no residencial José Euclides e outras 200 no Alameda das Palmeiras, ambos localizados no bairro Ancuri. Representante do MTST, Dóris Soares explica que a ideia é debater novas formas de acesso a moradias, bem como de ocupação popular. "A dificuldade de efetuar políticas de acesso é grande. Aqui em Fortaleza temos um déficit habitacional imenso. A questão da moradia é uma pauta urgente", diz.

Segundo Dóris, o movimento reivindica a criação de um fundo de moradia, cujos recursos para a construção de moradias populares e direcionamento delas à população carente. Esse fundo daria autonomia ao governo estadual e Prefeitura, "sem que dependesse dos recursos federais". "Temos famílias de todas as áreas de Fortaleza, mas a maioria vem da Grande Messejana. A luta por moradias se agrava com a crise de desemprego, as famílias não conseguem ter estabilidade financeira, vivem de aluguel ou de favor”, aponta.

Na região do Bom Jardim e Messejana, o MTST tem cerca de mil pessoas organizadas. Em Fortaleza, o movimento engloba cerca de 5 mil pessoas envolvidas com a luta por moradias. 

O residencial José Euclides tinha previsão de entrega para o segundo semestre de 2016, mas o prazo foi estendido para junho de 2017. A Secretaria das Cidades respondeu, em nota, que o governo do Estado encaminhou a solicitação das famílias para a Caixa Econômica Federa e aguarda autorização para atendimento.

A secretaria informou na nota que “existem vários fatores que podem influenciar na alteração dos cronogramas de obras, como ocorrências climáticas, alterações de projeto, licenciamento, dentre outras”.  Também explicou que o acompanhamento da obra é feito pelo agente financeiro.

“Quanto à previsão de entrega, atualmente está acontecendo a primeira fase da entrega do residencial José Euclides, que corresponde a 1.488 unidades, para famílias oriundas dos projetos Rio Cocó e Rio Maranguapinho, cujos contratos das famílias estão sendo assinados desde o dia 10 de julho. A segunda fase da entrega dos apartamentos do residencial José Euclides, que irá beneficiar 1.504 famílias, está prevista para acontecer em setembro de 2017”, completa.

A Prefeitura Municipal de Fortaleza, responsável pelo residencial Alameda das Palmeiras, foi procurada e informou que responderá em breve.

Redação O POVO Online

TAGS