PUBLICIDADE
Notícias

Morre policial que passou mal após prestar depoimento na CGD

Inspetor foi ouvido na condição de testemunha em processo Administrativo Disciplinar. A causa da morte foi um rompimento da aorta. Órgão determinou abertura de procedimento para apuração do caso

16:18 | 11/07/2017
NULL
NULL

[FOTO1]Policial civil que passou mal após testemunhar na Controladoria Geral de Disciplina dos Órgãos de Segurança Pública e Sistema Penitenciário (CGD) morreu na manhã desta terça-feira, 11. O inspetor Flávio Martins Dantas, 62 anos, se sentiu mal na audiência, na qual foi ouvido na qualidade de testemunha, na manhã de segunda-feira, 10, e foi levado ao Hospital Prontocárdio. A causa da morte foi rompimento da artéria aorta.

 

O presidente do Sindicato dos Policiais Civis de Carreira do Estado do Ceará (Sinpol), Francisco Lucas, diz que Dantas sentiu uma dor no peito, mas o processo não foi interrompido imediatamente. “Ele foi prestar depoimento em processo contra dois policiais, foi pressionado a falar algumas coisas que ele disse que não sabia. Sentiu a dor, reclamou lá, mas a delegada entendeu por bem contnuar, dizendo que estava finalizando”, afirmou ao O POVO Online.

De acordo com a CGD, Dantas estava acompanhado de seu advogado para testemunhar em processo Administrativo Disciplinar. A audiência ocorreu com outros dois advogados dos indiciados, informa o órgão.

 

O inspetor foi transferido para o Hospital do Coração, durante a madrugada, mas não resistiu à cirurgia. "Foi levado ao Prontocárdio por dois terceirizados, mas nenhum membro da Controladoria chegou a ir. Mesmo com o advogado pedindo para encerrar (o depoimento), não deram tanta atenção. Um fato lastimável, espero que o governador tome conhecimento para tomar providências”, completa Francisco.

Em nota, a CGD lamentou a morte e esclareceu que a equipe do órgão “somente deixou o hospital após a chegada de familiares”. Também foi determinada abertura de procedimento para apurar o caso.

“A Controladoria Geral de Disciplina dos Órgãos de Segurança Pública e Sistema Penitenciário (CGD) lamenta profundamente o falecimento do Inspetor de Polícia Civil - Flávio Martins Dantas. Nesta oportunidade, transmitimos nossas condolências à família, rogando a Deus que lhe dê conforto, sabedoria e coragem para seguir em frente, pois a vida é o bem mais valioso e, mesmo diante da morte, é preciso se manter firme em honra e memória dos que se foram”, diz trecho da nota enviada pelo órgão.

TAGS