PUBLICIDADE
Notícias

Fim de semana tem ondas altas e vento forte; pescadores evitam sair para alto-mar

Segundo a Marinha do Brasil, fenômeno "mar grosso" está previsto para a região entre Natal, no Rio Grande do Norte, e São Luís, no Maranhão

13:58 | 29/07/2017
NULL
NULL

[FOTO1]Neste fim de semana, o mar do litoral cearense pode apresentar ondas de três a quatro metros, segundo a Marinha do Brasil. O fenômeno “mar grosso” é previsto na região entre Natal, no Rio Grande do Norte, e São Luís, no Maranhão. Além disso, a Marinha alerta para vento forte, o que tem preocupado pescadores do Mucuripe, em Fortaleza, e os levado a questionar a decisão de ir para alto-mar.

"A gente não vai, não, mas, às vezes, a gente enfrenta a tempestade devido às dificuldades... porque tem que ir”, admite o pescador Heloildo Ribeiro, 41. Segundo ele, as jangadas costumam cruzar o mar para até 50 quilômetros da costa, onde a ventania é mais forte. No entanto, Heloildo diz que consegue se precaver. “Hoje em dia a gente usa GPS e vê, na internet, essa coisa dos ventos. "Já sabe mais ou menos o que fazer. Mas, antigamente, tinha isso, não. Enfrentava muita tempestade porque já tava lá dentro (do oceano)”.

“Pra quem vive só da pesca fica difícil, né?”, lamenta o pescador Raimundo Enésio Alves dos Santos, 42. Num mês em que o vento não atrapalha o ofício, ele diz que consegue viajar quatro vezes. Mas, no período dos ventos, que, segundo ele, segue deste mês de julho até outubro, faz só uma viagem. “A gente pesca pra sobreviver, manter a família. E é mais perigoso quando tá ventando do que quando tá chovendo. A ventania faz a jangada virar quando vem onda grande”, explica.

 

Recomendação

Às embarcações de pequeno porte como a de Heloildo e de Enésio, a Capitania dos Portos do Ceará recomenda, neste fim de semana, evitar a navegação. “E que as demais embarcações redobrem a atenção quanto ao material de salvatagem, estado geral dos motores e casco, bomba de esgoto do porão, equipamentos de rádio” entre outros itens, completou, em nota, o órgão.

 

Redação O POVO Online

TAGS