PUBLICIDADE
Notícias

Acusados da morte de comerciante português são condenados a mais de 25 anos de prisão

Português Nuno Antônio Portugal Torres foi morto ao reagir a um assalto em outubro de 2016, dentro de sua loja de informática, no Montese

19:47 | 06/07/2017
NULL
NULL

[FOTO1]O juiz Antônio José de Norões Ramos, titular da 2ª Vara Criminal de Fortaleza, condenou a mais de 25 anos de prisão em regime fechado os três acusados de latrocínio (roubo seguido de morte), que vitimou o comerciante português Nuno Antônio Portugal Torres, 39, em outubro de 2016, no Montese. A decisão foi publicada no Diário da Justiça Eletrônico no dia 29 de junho e divulgada pelo Tribunal de Justiça do Estado do Ceará (TJ-CE) nesta quinta-feira, 6.

Wégila da Silva Félix e Jackson Henrique Lopes de Sousa, o casal que aparece nas imagens das câmeras de segurança que flagraram o crime, foram condenados a 25 anos e seis meses de prisão. Já Diego de Deus Cassimiro, apontado como coautor, foi condenado a 26 anos.

Conforme o magistrado, o trio foi reconhecido pelas vítimas sobreviventes e pelas testemunhas de acusação. O juiz ressaltou que Wégila e Jackson foram enfáticos ao afirmarem que foi Diego quem os chamou para realizarem o assalto. Segundo Antônio José de Norões Ramos, não há qualquer contradição quanto a imputação de coautoria de Diego.

[FOTO2]

De acordo com a denúncia do Ministério Público do Ceará (MPCE), o crime ocorreu no dia 17 de outubro de 2016, por volta das 16h, em uma loja de informática situada na rua Euzébio de Queiroz, no bairro Montese, em Fortaleza.

Na ocasião, Diego forneceu um revólver calibre 38 e indicou o local do assalto para os outros réus. Durante a ação, o comerciante reagiu, mas foi atingido por tiros e morreu no local. Os assaltantes fugiram em dois carros, mas acabaram sendo presos posteriormente.

TAGS