PUBLICIDADE
Notícias

Suspeito de estelionato que anunciava iPhones em grupo de WhatsApp é preso

A Polícia Civil cumpriu o mandado de prisão preventiva

19:05 | 27/06/2017

Paulo Anderson Rodrigues, de 27 anos, se intitula como consultor de moda e foi preso nesta terça-feira, 27, suspeito de estelionato por meio de mandado de prisão preventiva, que foi cumprido na casa dele, no bairro Benfica.

 

Segundo o delegado Dionísio Amaral, titular do 2º DP (Aldeota), o inquérito sobre o caso foi instaurado em março, porque as vítimas que haviam comprado iPhones e produtos importados denunciaram Paulo Anderson, pois, após o pagamento, elas não receberam o material.

Conforme Dionísio Amaral, os produtos eram anunciados em grupos de WhatsApp. E as negociações aconteciam por meio das redes sociais. 11 vítimas já denunciaram o caso, mas o delegado disse que outras ainda estavam por vir. "Pedimos em abril a prisão dele. Ele oferecia esses produtos por meio de redes sociais e propaganda. Ele recebia o dinheiro ou entrada e não entregava o produto", disse.

Paulo Anderson possui indiciamento por estelionato no 8º DP. O delegado disse que no momento da prisão ele alegou que adquiriu os produtos e o fornecedor não teria honrado, mas o titular do 2º DP afirma que o que ele diz não coincide com a investigação da Polícia Civil. A pena para o estelionato é de um a cinco anos de reclusão e se o crime apresentar mais de seis vítimas existe o aumento da pena.

TAGS