PUBLICIDADE
Notícias

Metrofor não oferece banheiros e boxes nunca abriram

Duas estações do Metrofor, a da Parangaba e a Juscelino Kubitschek, no Demócrito Rocha, têm espaços para pontos comerciais que nunca foram abertos

17:00 | 27/06/2017
NULL
NULL
[FOTO1] 
O Metrô de Fortaleza comemorou, no dia 15 de junho de 2017, cinco anos fazendo o transporte de passageiros entre Pacatuba, na Região Metropolitana, e o Centro de Fortaleza. A proposta inicial era ter 64 pontos de comércio, entre lojas e quiosques, além de 34 máquinas de lanche, abertos em duas das 22 estações: a da Parangaba e a Juscelino Kubitschek, no Demócrito Rocha. No entanto, desde a inauguração em 2012, nenhum desses pontos foi aberto.
 
O Metrô de Fortaleza tem uma média de 20 mil usuários por dia. A auxiliar de serviços gerais Ana Maria Pereira da Silva, 32, sente falta de um espaço em que se venda água. Também deseja que as estações tivessem banheiros, em que ela pudesse trocar a fralda do filho Lucas, de 2 meses. “A gente falta se acabar de sede e não tem quem venda água”, diz. 
 
Não tem quem faça a dona de casa Tereza Natalício, 56, ir ao Centro da casa dela, na Parangaba, sem levar o lanche e uma água. Ela mora vizinha à estação. “Quando eu esqueço, eu tenho que descer no Benfica e comprar a água. Aí eu tenho que pagar outra passagem, porque no Metrô não aceita bilhete único”, diz. 
[FOTO2]
O estudante Matheus Victor Feitosa, 18, acredita que lanchonetes e quiosques poderia facilitar não só a vida dos passageiros, mas também de que está buscando emprego.
 
Em nota enviada pela assessoria de comunicação, a Companhia Cearense de Transportes Metropolitanos afirmou que foi realizado em janeiro deste ano uma licitação destinada à contratação de empresa para a exploração dos pontos comerciais da Linha Sul. No entanto, o licitação não obteve o resultado esperado devido à ausência de propostas. No ano de 2016, outras duas licitações foram realizadas com o mesmo resultado. Nesse momento, a Cia Cearense de Transportes Metropolitanos está avaliando as condições e possibilidades de ocupação dos espaços comerciais para desenhar e viabilizar novo modelo de ocupação.

TAGS