PUBLICIDADE
Notícias

RC diz que mantém diálogo, mas não aceita ameaça ao "direito de ir e vir''

Prefeito de Fortaleza frisa que foram ofertados 1.000 boxes públicos para quem não possui condições financeiras de pagar os privados

16:31 | 16/05/2017
NULL
NULL

[FOTO1] 

O prefeito de Fortaleza, Roberto Claudio, divulgou na tarde desta terça-feira, 16, posicionamento sobre as manifestações de feirantes que ocorrem na José Avelino. Em vídeo, ele diz que o diálogo será mantido, mas não serão aceitas atitudes que coloquem "em risco o convívio e o direito de ir e vir das pessoas".

Os feirantes protestam contra realocação e ocupam faixa da avenida Alberto Nepomuceno para impedir o início das obras de requalificação no local. Durante esta manhã, foram registrados confrontos entre Guarda Municipal e feirantes.

RC diz que há quatro anos, ação do Ministério Público Estadual solicita à Prefeitura o encerramento da feira no entorno da José Avelino. "O Plano Fortaleza 2040 prevê que no corredor da Filomeno Gomes, ao longo do Jacarecanga, se estabeleça de forma ordenada, planejada, organizada, um novo mercado de atacarejo, com mercados privados e eventualmente de mercados públicos", afirma ele.

RC frisa que foram ofertados 1.000 boxes públicos para quem não possui condições financeiras de pagar os privados. "Com a feira (de domingo) já completamente encerrada, iniciamos operações de desvios de trânsito, intervenções que vão nos permitir recuperar o patrimônio tombado da José Avelino, faça uma nova Alberto Nepomuceno, que é o corredor central de maior importância do Centro da cidade de Fortaleza, e os entregue revitalizados", comenta o prefeito.

De acordo com ele, depois que a feira acabou nesse domingo, 14, a Prefeitura foi surpreendida com ações criminosas, como "uso de balaclavas, desvios com pneus queimados, coquetel molotov, rojões soltados contra pessoas inocentes e agentes da segurança pública". Ele cita ainda a "tomada" de ônibus, que de acordo com a Polícia Militar que esteve na área não teria sido realizada por manifestantes. "Não é uma manifestação pacífica, isso não é da natureza do ambulante, do pai e da mãe de família, é uma ação que se constitui como crime e assim será encarada pela Prefeitura", alega RC.

O prefeito encerra dizendo que as respostas serão "contundentes, firmes em defesa do direito coletivo à cidade". "Fica mantida a decisão da Prefeitura (de iniciar as obras para revitalização do local), a não ser que haja qualquer decisão em contrário, até porque há um respeito muito grande a Justiça", anuncia.

Assista ao pronunciamento do prefeito:

[VIDEO1] 

Redação O POVO Online

TAGS