PUBLICIDADE
Notícias

Em uma semana, triplica o número de trechos próprios para banho em Fortaleza

São 12 pontos impróprios para banho e atividades no mar em Fortaleza, de acordo com boletim da Semace. O lazer e esporte em água contaminada pode resultar em problemas de saúde

18:00 | 26/05/2017
Surfista entrando no mar
Surfista entrando no mar

[FOTO1] 

Dezenove dos 31 pontos monitorados da orla marítima de Fortaleza estão próprios para banho, conforme monitoramento da Superintendência Estadual do Meio Ambiente (Semace), divulgado nesta sexta-feira, 26. A indicação significa que 12 trechos estão com quantidade de no mínimo 2,5 mil coliformes termotolerantes (conhecidos como fecais) por cada 100 ml de água do mar.

A Praia do Futuro, que estava imprópria em toda sua extensão durante duas semanas, tem agora trechos próprios para banho na avenida Dioguinho. No Serviluz, nas alturas das avenidas José Saboia e César Cals, o mar está impróprio, assim como no Caça e Pesca. 

As orientações que definem os critérios de balneabilidade das águas brasileiras e das praias são definidas pelo regulamento federal nº274/2000, emitido pelo Conselho Nacional de Meio Ambiente (Conama).

O banho em mar impróprio pode trazer uma série de doenças, dependendo do sistema imunológico dos banhistas. Os mais frágeis são crianças e idosos, que correm mais risco de contrair doenças gastrointestinais e de pele, como as micoses. "O indivíduo que fizer uso dessa água como recreação pode até vir a morrer sem saber que foi por isso (banho em local impróprio). O risco é maior no caso das crianças, que acabam engolindo água", afirma a pesquisadora titular da Escola Nacional de Saúde Pública da Fiocruz, Adriana Sotero.

Hepatite, cólera, febre tifoide e diarreia são algumas das doenças enumeradas pela pesquisadora. O esgoto que contamina o mar tem grande quantidade de vírus e parasitas. "Muita gente acha que em grau de salinidade alta os ovos de parasitas não vão sobreviver, mas se esse ovo for recente a pessoa corre risco porque ele ainda não morrer", alerta.

Ela também diz que o cuidado redobrado em praias impróprias se não se restringe ao mar, pois a areia da praia, apesar de não ter classificação quanto a quantidade de coliformes, também fica prejudicada quando a contaminação é grande. "O usuário acha que com a água ruim, pode ficar na areia, mas esse esgoto acaba indo para lá e formando o que a gente chama de vala negra", diz.

Adriana lembra ainda que a balneabilidade está diretamente relacionada à rede coletora das cidades. "No Brasil, os nossos rios se transformam em grandes depósitos de esgoto. Ampliar a rede coletora é uma forma de garantir a qualidade (das águas do mar). Teríamos uma resposta muito grande na área da saúde e do turismo", frisa.

O Ministério do Meio Ambiente (MMA) planeja criar uma plataforma digital para sistematizar e padronizar as informações sobre balneabilidade de todas as praias brasileiras, em parceria com estados e municípios. No entanto, ainda não há previsão orçamentária para o desenvolvimento da ferramenta.

Sinalização

A interdição e sinalização das praias, de acordo com o Conama, deve ser efetivada pelo órgão de controle ambiental competente. O Ministério do Meio Ambiente (MMA) informa que, na prática, "órgãos estaduais realizam as medições e disponibilização das informações e os municípios são responsáveis pelas placas de sinalização".

A Superintendência Estadual do Meio Ambiente (Semace) respondeu que não tem responsabilidade expressa para sinalizar com placas os trechos e divulga as condições de balneabilidade das praias de Fortaleza regularmente, às sextas-feiras. Já a Secretaria de Urbanismo e Meio Ambiente (Sema) respondeu que não existe determinação versando sobre a obrigatoriedade de placas em trecho impróprios.

Pontos próprios

Posto 3 - Entre os Postos dos Bombeiros 06 e 07

Posto 4 - Entre o Posto dos Bombeiros 06 até a Praça 31 de Março

Posto 5 - Entre a Praça 31 de Março até Posto dos Bombeiros 04

Posto 6 - Entre os Postos dos Bombeiros 03 e 04

Posto 7 - Entre os Postos dos Bombeiros 02 e 03

Posto 8 - Entre os Postos dos Bombeiros 01 e 02

Posto 12 - entre a Praia dos Botes e o Farol

Posto 13 - Entre o Monumento do Jangadeiro até a Praia dos Botes

Posto 14 - Entre a foz do Riacho Maceió e o Monumento dos Jangadeiros

Posto 15 - Entre a Volta da Jurema até foz do Riacho Maceió

Posto 16 - Entre o Espigão da Desembargador Moreira até a Volta da Jurema

Posto 17 - Entre a rua José Vilar e o Espigão da Desembargador Moreira

Posto 18 - Entre Espigão da Rui Barbosa até a rua José Vilar e o Espigão

Posto 19 - Entre os Espigões da rua João Cordeiro e Av. Rui Barbosa

Posto 20 - Entre o Aquário até o Espigão da rua João Cordeiro

Posto 21 - Entre o INACE (Ind. Naval do Ceará) até o Aquário

Posto 23 - Entre a Av. Philomeno Gomes até a Rua Padre Mororó

Posto 24 - Entre a Rua Jacinto Matos até a Av. Philomeno Gomes

Posto 27 - Entre a Rua Seis Companheiros até a Rua Francisco Calaça

Pontos impróprios

Caça e Pesca

Posto 2 - Entre os Postos dos Bombeiros 07 e 08

Posto 9 - Entre a rua Ismael Pordeus até Posto dos Bombeiros 01

Posto 10 - Entre o Farol até a rua Ismael Pordeus

Posto 11 - Farol

Posto 22 - Entre a Rua Padre Mororó até a Av. Alberto Nepomuceno

Posto 25 - Entre a Av. Pasteur até a Rua Jacinto Matos

Posto 26 - Entre a Rua Francisco Calaça até a Av. Pasteur

Posto 28 - Entre a Rua Lagoa do Abaeté até a Rua Seis Companheiros

Posto 29 - Entre a Rua das Goiabeiras até a Rua Lagoa do Abaeté

Posto 30 - Entre a foz do Rio Ceará até a Rua das Goiabeiras

Posto 31 - Barra do Ceará

TAGS