PUBLICIDADE
Notícias

Promotor de Justiça do processo da chacina da Messejana/Curió atuará no caso Dandara

17:33 | 12/03/2017

O promotor de Justiça Marcus Renan Palácio, titular da da 1a Vara do Júri, será o responsável por oferecer a denúncia sobre o assassinato da travesti Dandara dos Santos. A execução ocorrida em Fortaleza, e que chocou o País porque foi filmada e postada nas redes sociais, aponta também para um crime de preconceito contra a orientação sexual da vítima. Marcus Renan é o mesmo que atua no processo da Chacina de Messejana/Curió.

O "caso Dandara" foi distribuído para 1a Vara do Júri por prevenção, quando a delegada Arlete Silveira (32o DP), responsável pelo inquérito policial, pediu a prisão preventiva de alguns suspeitos do homicídio. Ato decretado pela juíza Danielle Pontes Arruda.

[SAIBAMAIS]O espancamento e apedrejamento de Dandara dos Santos, que também foi alvo de disparos de arma de fogo, aconteceu no dia 15 de fevereiro deste ano no bairro Bom Jardim. Nas imagens que ainda circulam pela internet, os autores do crime insultam a vítima com expressão do tipo: "A mundiça tá de calcinha e tudo".

 

Com a prisão de Francisco José Moreira de Oliveira Junior, de 21 anos, conhecido como "Chupa Cabras", subiu para oito o número de suspeitos capturados. Já haviam sido presos Rafael Alves da Silva Paiva (18), sem antecedentes; Júlio César Braga da Costa (19), sem antecedentes; Isaias da Silva Camurça (25), vulgo "Zazá", que responde pelos crimes de homicídio, crime de trânsito e contra a administração pública; e quatro adolescentes, com idades de 16 e 17 anos.

TAGS