PUBLICIDADE
Notícias

Guarda Municipal usa spray de pimenta para dispersar foliões no Estoril

20:09 | 02/03/2017

A Guarda Municipal usou spray de pimenta para dispersar uma multidão que se aglomerava nas imediações do Estoril, na rua dos Tabajaras, na noite dessa terça-feira, 28. No local, foliões estavam concentrados e também relataram suposto uso de bombas de efeito moral. A Direção Geral da Guarda informou que “apurará os fatos e tomará as providências necessárias”.

A ação, de acordo com relatos dos foliões, ocorreu por volta das 22 horas. Com o uso do spray, algumas pessoas passaram mal e a multidão se dirigiu à saída do Estoril para a Praia de Iracema.

"Não teve brigas, mas do nada chegou uma multidão de gente em cima, minha amiga quase foi pisoteada, derrubaram ela no chão. Os ambulantes começaram a ir embora levando as coisas", narra a estudante de Medicina, Roberta Fernandes.

Outra pessoa que também estava no local e preferiu não se identificar contou sobre o uso do spray. "Muita gente ficou reclamando que jogaram gás e spray contra as pessoas que estavam no meio da rua", disse a fonte ao O POVO Online.

Segundo Roberta, as pessoas ficaram assustadas porque o local era ocupado para a celebração do Carnaval. "Já passei Carnaval na Mocinha, na Praça da Gentilândia e em outros lugares do País com muito mais lotação. Muitos dos meus amigos eram homossexuais e eles sentiram mesmo uma movimentação homofóbica nessa ação, porque ali é uma área em que as pessoas podem ser quem elas são", avalia a estudante.

A Guarda Municipal de Fortaleza, por meio da assessoria de imprensa, confirmou o uso do spray de pimenta durante tumulto, mas não de bombas de efeito moral. A ação, em conjunto com a Secretaria Municipal de Urbanismo e Meio Ambiente (Seuma), era para inibir a poluição sonora e ocupação indevida do espaço público. Não houve confronto, ainda de acordo com a corporação.

No fim de 2016, festa na Praça dos Leões foi dispersada pela Guarda Municipal, gerando indignação entre os frequentadores do local.

O POVO Online procurou a Seuma, que informou que as respostas sobre o caso seriam enviadas pela Secretaria da Regional II (Ser II). Em nota, a pasta afirma que não houve apreensão de equipamentos sonoros no último dia 28.

 

Leia a nota na íntegra: 

 

"A Secretaria Regional II realiza diariamente o ordenamento do comércio ambulante no bairro Praia de Iracema. Durante o Ciclo Carnavalesco 2017 houve um reforço desta ação, para garantir conforto e segurança aos foliões.

No Pré-Carnaval e Carnaval os agentes de fiscalização e controle urbano realizaram blitz educativa, conscientizando os vendedores sobre o uso correto e igualitário do espaço público. Somente os comerciantes previamente cadastrados pelo município tiveram autorização de comercializar no bairro.

Não houve nenhuma apreensão de equipamentos sonoros durante a operação integrada entre a Secretaria Regional II e Secretaria de Urbanismo e Meio Ambiente (Seuma), no dia 28.02.17".


Redação O POVO Online

 

TAGS