PUBLICIDADE
Notícias

Procon compara preços de produtos mais consumidos no Carnaval

O levantamento divulgado pelo Procon nesta quinta-feira, 23, apresenta variações de até 300% em produtos da mesma marca. Pesquisa ocorreu em 10 estabelecimentos nos últimos dias 20 e 21

14:25 | 23/02/2017
NULL
NULL
[FOTO1] 
Toda atenção é pouca na hora de fazer as compras para o Carnaval. O Programa de Proteção e Defesa do Consumidor de Fortaleza (Procon) divulgou, nesta quinta-feira, 23, uma pesquisa de preços para produtos da mesma marca com diferença de até 348,31%. A disparidade maior foi identificada no quilo do sal grosso. O item mais barato custa R$ 0,89 em um supermercado e, em outro, a R$ 3,99.

O levantamento foi realizado nos últimos dias 20 e 21, em 10 supermercados da Capital, em todas as Secretarias Regionais de Fortaleza. A novidade, segundo Cláudia Santos, diretora geral do Procon, foi a inclusão dos 19 itens consumidos durante as festas de Carnaval e que são encontrados nos supermercados. Picanha, fraldinha, coração de frango, cerveja, whisky, energético, cachaça e preservativo foram alguns dos produtos pesquisados. 

“A pesquisa é um importante instrumento de economia para o bolso. O consumidor deve ficar sempre atento, guardar encartes promocionais e exigir levar o menor preço dos encartes”, explica Cláudia Santos.

O consumidor que optar pela compra do produto mais barato economiza quase 50% se comparado com o estabelecimento que vende mais caro. Se a opção para o Carnaval for o churrasquinho de coração de frango, por exemplo, é possível comprar meio quilo por R$ 8,65 no supermercado mais barato, enquanto que no estabelecimento que comercializa com o valor inflacionado, o item da mesma marca sai por R$ 18,99. Uma diferença de 119,54%. Já a picanha nacional pode ser encontrada de R$ 39,99 a R$ 54,89 o quilo, uma variação de 35,18%.

O Procon dá algumas dicas para serem seguidas antes e durante as compras:
- Faça uma lista do que realmente precisa comprar;
- Pesquise os preços em encartes distribuídos em jornais, bancas, locais de circulação de pessoas ou no próprio estabelecimento;
- Compare preços e marcas, lendo rótulos dos alimentos e verificando a data de validade;
- Evite ir às compras com fome e acompanhado de crianças;
- Alimentos congelados devem ser colocados por último no carrinho.
 
Redação O POVO Online 
TAGS