''Nunca disse que traria soluções mágicas'', diz Delci; Camilo deve nomear novo secretário até sextaNotícias de Fortaleza
PUBLICIDADE
Notícias


''Nunca disse que traria soluções mágicas'', diz Delci; Camilo deve nomear novo secretário até sexta

Secretário se desliga da pasta estadual da Segurança Pública por motivos que diz serem ''estritamente pessoais''

10:50 | 04/01/2017

Em entrevista coletiva cedida na divulgação dos índices de Crimes Violentos Letais e Intencionais (CVLIs), na manhã desta quarta-feira, 4, o ainda secretário estadual da Segurança Pública e Defesa Social do Ceará, Delci Teixeira, discursou em tom de despedida do Governo. “Foi uma honra ter trabalhado aqui”, afirmou. Sobre a sua saída da pasta, diz que se deve a “problemas estritamente pessoais”.

O governador Camilo Santana ainda não sabe quem será o sucessor de Delci Teixeira no comando da segurança pública estadual, mas informou, na mesma ocasião, que se vai se reunir com o secretário e deve anunciar o novo nome até o fim desta semana.

Em sua fala, Teixeira avalia seus quatro anos de gestão: “eu nunca disse que traria soluções mágicas para a segurança pública, mas se há algo que eu bato no peito e digo ‘eu fiz no Ceará’ foi reunir uma equipe de profissionais e esses, sim, deram a resposta que se esperava”, afirmou, se referindo à redução pelo segundo ano consecutivo dos índices de CVLIs – que correspondem a homicídios, latrocínios e lesões corporais seguidas de morte.

Histórico
Delegado da Polícia Federal, Delci Teixeira foi nomeado secretário da Segurança Pública em 2014 pelo governador Camilo Santana. Em somente dois anos de gestão, teve de lidar com polêmicas como ataques aos agentes de segurança pública, greve dos agentes penitenciários, entre outras situações desgastantes.

Antes de ser secretário, Teixeira havia atuado como superintendente da Polícia Federal em Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro e Paraná. Também foi assessor de Disciplina do Ministro da Justiça e integrante da Comissão de Ética do Ministério da Justiça.

Veja vídeo da entrevista:
[VIDEO1]

Redação O POVO Online com informações dos
repórteres Thiago Paiva e Igor Cavalcante

TAGS