PUBLICIDADE
Notícias

Fortaleza e RMF reduzem em 8,8% o consumo de água

Apesar de não terem atingido a meta estabelecida pela Cagece, consumidores de Fortaleza e Região Metropolitana têm avançado e reduziram 8,8% do consumo médio

11:42 | 20/01/2017
A redução de consumo de água em Fortaleza e Região Metropolitana alcançou o maior percentual desde que metas foram estabelecidas. Dados da Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) registraram, em dezembro de 2016, uma diminuição de 8,8% do volume médio de água consumida. O percentual representa um total de 1,06 milhão de metros cúbicos a menos que a média utilizada para cálculo da tarifa de contingência, o menor consumo nos últimos em 36 meses. 

Apesar do recorde de redução do consumo, o total ainda está longe da meta estabelecida para dezembro, de 20%. De acordo com Agostinho Moreira, superintendente comercial da Cagece, são várias as ações desenvolvidas pela companhia no sentido de conscientizar o consumidor sobre a importância de poupar água. “Nesse sentido, passamos e-mails para todos os clientes, na nossa página tem dicas de como reduzir o consumo. Buscando orientar nossos clientes num esforço de vencer essa crise hídrica”, aponta, informando que foi criado um simulador que mostra o valor que será pago a partir do consumo de água.

Uma das formas foi a tarifa de contingência, que é aplicada somente em caso de o consumidor não consiga atingir a redução estipulada. A multa de 120% insere somente sobre o valor que ultrapasse a meta. Por exemplo, no caso de a conta de água de uma casa dê R$ 100, pela meta de redução, deveria alcançar os R$ 80.  A partir desse valor, é aplicada a multa. 

No acumulado do ano de 2016, a economia foi de 7,9 milhões de metros cúbicos de água, quando comparado com o período base para cálculo da tarifa de contingência (outubro de 2014 a setembro de 2015). O total economizado no ano é equivalente ao volume de água consumido pelos clientes de Fortaleza em dezembro de 2016.

No mês passado, a Cagece arrecadou R$ 8,1 milhões com a tarifa de contingência. Somado ao arrecadado no ano de 2016, a companhia recebeu cerca de R$72,8 milhões com o mecanismo. Esses valores são todos destinados a ações de enfrentamento à seca.

A tarifa com a nova meta de 20% entrou em vigor na capital a partir do dia 18 de setembro de 2016, e na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), no dia 19 do mesmo mês.
 
Redação O POVO Online 
TAGS