PUBLICIDADE
Notícias

A importância de manter o local de crime intacto para identificação de autores

Perito explica a importância de manter locais de crimes preservados. Uma palestra sobre o assunto será dada a profissionais do SAMU

18:52 | 05/12/2016


No Ceará, até outubro, aconteceram 2.789 Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI). Encontrar os autores de todas as ocorrências ainda é uma meta distante de ser alcançada. Nesse contexto, porém, o trabalho pericial pode fazer uma grande diferença. O problema é que muita gente nem imagina que luminol, trena a laser e luzes com visão noturna existem na Perícia Forense do Estado (Pefoce). Esses equipamentos não só existem como têm o poder de elucidar crimes. 


Quem garante isso é o perito Rômulo de Oliveira Lima, que fará palestra nesta terça-feira, 6, para profissionais do SAMU com o título “Isolamento e preservação do local de crime e suas consequências”. Conforme ele, existem três locais de crime: em acidentes de trânsito com vítimas, de patrimônio (onde ocorrem roubo e furto) e de vida (quando ocorre homicídio). “Em qualquer um desses locais, algo fundamental é o isolamento, seja por barreiras físicas ou não”, alerta. 


A preservação do local de crime, de acordo com o perito, é o ponto mais delicado no trabalho da perícia. “Às vezes, quem não está envolvido com a elucidação, de forma direta, acaba ignorando as provas ou então sequer enxerga algum vestígio”, comenta Rômulo. Manter tudo como está é fundamental para que a dinâmica do crime possa ser entendida. 


Uma gota de sangue pisada, a proximidade de pessoas junto às vítimas, a movimentação de algum corpo ou vestígio, como faca, arma de fogo, projétil. “Quando algo assim acontece, a gente não consegue identificar o agressor. Isso não nos permite esclarecer como o crime aconteceu, de onde veio o agressor, que arma utilizou…’, explica o perito. Com a análise pericial, é possível identificar sangue humano, reconhecer digitais e verificar a tipologia de drogas encontradas, por exemplo.


“A maleta que é vista nos filmes é a mesma que nós utilizamos. Tem luminol, óculos e luzes noturnas, GPS, trena a laser, pó fosforescente”, destaca Rômulo. Ele concorda que grande parte da população desconhece a existência desses materiais e, por isso, muitas vezes não compreende a importância de manter o local de crime intacto. 
 
 
Redação O POVO Online 
TAGS