PUBLICIDADE
Notícias

SuperLua encanta, mas não será perceptível a olho nu, segundo especialistas

Mais próxima da Terra, a lua parece maior e mais iluminada. Mas isso só pode ser percebido com instrumentos apropriados. As marés, no entanto, devem ter interferência

15:51 | 09/11/2016
Lua cheia entre os prédios
Lua cheia entre os prédios

[FOTO1]Nesta segunda-feira, 14, as pessoas vão poder presenciar o fenômeno conhecido como “SuperLua” que trata-se do momento em que a lua cheia ocorre no seu perigeu, ponto do percurso lunar mais próximo da Terra. Essa coincidência vai proporcionar aos “terráqueos” uma percepção diferente acerca do satélite. Aparentemente, a lua vai estar mais iluminada e com um tamanho maior devido a sua proximidade com o nosso planeta. 

 

De acordo com o diretor do planetário Rubens Azevedo, Dermeval Carneiro, esse momento não é tão raro como acreditam já que a lua tem todo mês a sua fase cheia e passa pelo perigeu. “Todos os meses o satélite passa pelo seu apogeu (ponto do percurso lunar mais afastado da Terra) e do perigue (ponto mais próximo). A média da distância da Lua com a Terra no seu ponto mais próximo é de 380 mil quilômetros”, disse ao O POVO Online.

 

%2bLeia Mais: Novembro terá a maior superlua em 100 anos

 

Entretanto, por mais que as pessoas achem que a Lua esteja maior, tanto o Dermeval quanto o físico do Observatório Dietrich Shiel Centro de Divulgação da Astronomia da Universidade de São Paulo (USP), Jorge Honel,  explicam que trata-se de uma impressão sensorial. A alteração é imperceptível a olho nu. “Se você observar a lua cheia no apogeu (minilua) e no perigeu  (superlua) pelo mesmo telescópio, você nota a diferença de tamanho”, explicou o físico. Além disso, ele ressaltou que o público leigo ao observar a lua nesta segunda-feira não vai notar nenhuma diferença pois não há uma referência de outra lua cheia para comparar.

 

Diante dessa informação, em 2014, o jornal O POVO registrou uma foto em que a Lua apresenta um tamanho maior do que o normal entre os prédios da avenida Beira Mar. Jorge explicou que esse caso trata-se de uma percepção sensorial do homem quando o satélite se encontra na linha do horizonte. Para ele, o cérebro faz uma comparação do tamanho da lua com objetos, como os prédios, que temos noção do tamanho real por esse motivo que a aparência é maior.

 

Curiosidade
Conforme as informações de Dermeval, quando a Lua Cheia se encontra na altitude da cidade Fortaleza, tudo que for matéria vai ter um peso menor por conta da força gravitacional que o satélite exerce sobre a Terra. Entretanto, o diretor alerta que essa “perda de peso” é insignificante e não perceptível. “Plantas, animais, marés entre outras matérias sofrem a tração gravitacional”, afirmou. Além disso, o diretor também comentou que a coincidência do perigeu com a Lua Cheia pode interferir nas marés altas, que podem ficar mais altas.   

 

 

Redação O POVO Online

TAGS