PUBLICIDADE
Notícias

Associação critica elaboração de projeto para revisar lei dos agrotóxicos no Ceará

O projeto de lei pretende modificar a lei 12.228/93, que regula o uso, o comércio, a produção e o controle dos agrotóxicos no Estado. A direção da ACAI cita necessidade de capacitação dos produtores

20:03 | 01/11/2016

Após encaminhamento de minuta do projeto de lei que pretende revisar a atual legislação sobre agrotóxicos, a Associação do Comércio Agropecuário da Ibiapaba (Acai) divulgou posicionamento contrário à forma como a discussão em torno dos defensivos vem sendo travada. O presidente da entidade, Luiz de Melo, defende a capacitação dos pequenos agricultores e diz que a maior tributação dos agrotóxicos prejudicará os produtores.

"A Acai não foi convocada para a discussão dessa minuta, estamos acompanhando pela mídia. A gente teme que os produtores sejam prejudicados, pois não sabemos o que está acontecendo", disse em entrevista ao O POVO Online.

O projeto de lei pretende modificar a lei 12.228/93, que regula o uso, o comércio, a produção e o controle dos agrotóxicos no Estado. Uma das questões levantadas pelos movimentos sociais é a isenção fiscal dos produtos.

%2b LEIA MAIS: Governo estuda revisão da legislação que regula agrotóxicos no Ceará

Segundo Luiz, a tributação dos defensivos poderá ser repassada aos produtores em uma momento de crise. "O coitado do produtor sairá prejudicado, porque nós repassamos o valor. Na serra da Ibiapaba, a fonte de renda é a agricultura. O aumento de impostos pode quebrá-los ", afirma.

O fim da das isenções para os agrotóxicos é defendido por movimentos sociais como uma forma de reduzir o consumo de defensivos. Luiz rebate o argumento e acredita que o Ceará precisa de capacitação. "Temos que orientar o produtor para ele utilizar de maneira mais racional", completa.

Redação O POVO Online
TAGS