PUBLICIDADE
Notícias

Testemunha afirma que um homem dirigia veículo que atropelou Kaic

Testemunha disse que chegou a perseguir o carro após o acidente

17:05 | 28/10/2016
NULL
NULL

[FOTO2] 

Uma testemunha do atropelamento que vitimou o menino Kaic Ronniere de Sousa, 11 anos, diz que quem estava dirigindo a Land Rover era uma pessoa do sexo masculino e que no banco do passageiro estava uma mulher. O acidente aconteceu no último domingo, 23, na Avenida Godofredo Maciel, no bairro Maraponga, por volta das 7 horas. No dia do atropelamento, uma mulher foi até a delegacia de forma espontânea assumindo ser a motorista do veículo. 

De acordo com a testemunha, deu para visualizar o casal pelo vidro da frente. A pessoa afirma que ficou de frente com o carro antes do acidente e que o veículo chamou atenção, por isso, ela olhou para os passageiros.

"É um carro que chama atenção e como estava de frente pra mim, olhei e vi que não era uma mulher. Ele estava na via transversal esperando para pegar um retorno. Antes do acidente fiquei olhando para o carro e comentando sobre o veículo. Eu vi que era um homem que estava no volante. De lado é escuro o vidro, mas na frente era mais claro", relatou a testemunha que preferiu não ser identificada.

Segundo a testemunha, quando o sinal abriu ela passou e ouviu o grito da mulher, mas não sabia que era a mãe. "Vi que havia derrubado a criança e estava passando por cima. O carro ultrapassou o meu para fugir, mas quando vi que ele ia fugir, ainda o segui para pegar a placa", revela.

[FOTO1]

Por alguns metros, a testemunha afirma que o carro percorreu a via em alta velocidade com a bicicleta ainda presa ao veículo. Ela diz que saia faísca de baixo do carro. A testemunha anotou a placa da Land Rover, mas perdeu o veículo de vista quando chegou próximo do Instituto Penal Olavo Oliveira (IPPOO), na avenida Bernardo Manuel.

"Quando entrou no outro retorno para sair da Godofredo Maciel, a bicicleta soltou-se do carro em velocidade ultrapassando todos os carros", explica. Durante a perseguição, a fonte diz que entrou em contato com a Coordenadoria Integrada de Operações de Segurança (Ciops) e que narrou a situação, que estava em um carro perseguindo uma Land Rover que havia atropelado uma pessoa. Até então a testemunha diz que não sabia que se tratava de uma criança.

Com o número da placa em mãos, a testemunha diz que voltou até o local do acidente e entregou os dados do veículo aos policiais. Ela diz que o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) estava no local e que comentaram que a criança estava muito mal. A testemunha diz que prestou depoimento no 5° Distrito Policial (Parangaba) e que foi informada que, posteriormente, seria chamada.

Polícia

De acordo com o delegado Renê Andrade, o depoimento da testemunha é isolado e as outras testemunhas ouvidas afirmam que era uma mulher loira no volante. No entanto, o inquérito está no começo e qualquer informação em relação a autoria vai ser verificada de forma técnica.

"Nós temos como buscar a verdade real e vamos checar todas as informações. Temos várias possibilidades a serem checadas", relata.

TAGS