PUBLICIDADE
Notícias

Empresa de ônibus suspende rota noturna após quatro assaltos em 30 dias

As rotas noturnas pela Estrada do Algodão estão suspensas enquanto não houver garantia de segurança

11:30 | 15/10/2016
NULL
NULL

A Expresso Guanabara suspendeu as rotas noturnas que ligavam Fortaleza ao município de Iguatu e ao Cariri pela Estrada do Algodão (CE-060), em Quixadá, em decorrência da insegurança. A nota da empresa foi divulgada na última sexta-feira, 14.

A Guanabara informou, por meio de uma nota, que a inciativa foi tomada depois da ocorrência de um assalto ao comboio de três ônibus, na madrugada desta sexta-feira, 14, na localidade de São Miguel, em Quixeramobim. Durante o assalto um sargento do Comando Tático Rural (Cotar), do Batalhão de Choque (BPChoque) foi baleado e matou um dos criminosos.

 Conforme a assessoria de imprensa, foram quatro roubos a veículos das empresa nos últimos 30 dias. " A Guanabara comunicou às autoridades policiais o ocorrido. Visando a segurança dos passageiros e colaboradores, a Guanabara informa que irá suspender a operação das ligações noturnas de Fortaleza a Iguatu e ao Cariri pela Estrada do Algodão, mantendo a operação somente pela BR 116", divulgou.

 Conforme a empresa, o serviço só será retomado depois que forem garantidas as condições de segurança na via. "A Guanabara orienta os clientes que já compraram passagens que procurem a agência mais próxima para outras informações", orientou.

 PM

 

[FOTO1]O Comando Tático Rural (Cotar) apreendeu armas, sendo duas espingardas calibre 12 e 36 e um simulacro, que teriam sido utilizadas na ação criminosa e prendeu um jovem suspeito de dar apoio na ação. Conforme o major Daniel Lima, do Batalhão de Choque, a operação para a prisão do grupo criminosos está em andamento pelos PMs do Cotar.

 

Como foi atacado um comboio de três veículos, o major Daniel explica que vários indivíduos deram apoio e o que jovem foi preso na última sexta-feira, 14,  teria sido um deles. 

 De acordo com o tenente-coronel Ednardo Calixto, não há motivos para mudar a rota e, por enquanto, que a quadrilha está sob perseguição, não deve atuar. Conforme o oficial, o grupo que tem realizado os ataques é da zona rural de Quixeramobim.

TAGS