PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Delegado pedirá prisão temporária de mulher que atropelou e matou menino

A vítima chegou a ser arrastada por cerca de 500 metros

18:43 | 27/10/2016

O titular do 5° Distrito Policial (DP), Renê Andrade, encaminhará à Justiça representação por prisão temporária nesta sexta-feira, 28, contra Ana Cláudia Rodrigues Muniz, que atropelou e matou o menino Kaic Roniele, 11 anos, no último domingo, 23, na avenida Godofredo Maciel. O garoto chegou a ser arrastado por cerca de 500 metros pelo veículo que a mulher conduzia.


"Ela desconsiderou o fato da vida humana e decidiu fugir do local. No nosso entendimento, houve dolo eventual quando assumiu o risco de tirar a vida humana e passar por cima de uma criança para atender uma atitude egoísta para fugir do local", disse o delegado Renê Andrade nesta quinta-feira, 27.


Ana Cláudia alega que seguiu acelerando o veículo por achar que fosse um assalto. Para o delegado, o argumento não é válido. "A narrativa que poderia ser um assalto cai por terra. Não há nenhum fato concreto. A via estava tranquila naquele momento, não havia aglomeração, só havia a mãe do Kaic, desesperada com a mão na cabeça pedindo para o carro para. Confundir uma mãe desesperada pedindo que o carro pare com um assaltante não é algo que a gente possa assimilar", comentou ele.


Nesta quinta, o delegado colheu depoimentos de pessoas próximas a Ana Cláudia. Renê afirma que houve pontos contraditórios nas oitivas. De acordo com o titular do 5° DP, a condutora do veículo teve a oportunidade de evitar a morte de Kaic. "Ela teve consciência de avançar contra a criança e matá-la. Tinha condições de evitar, se para no momento que tem a criança caída na frente do carro, mas decidiu que não", afirmou.

TAGS