PUBLICIDADE
Notícias

Candidatos denunciam supostas irregularidades em prova de concurso do IJF

Organização do concurso afirma que "não houve qualquer indício de irregularidade, fraude ou outro crime que justifique interferência externa no processo seletivo%u201D

19:42 | 10/10/2016
Atualizada às 21h17min
Um grupo de pessoas que prestou concurso público da Prefeitura de Fortaleza para contratação de profissionais para o Instituto Dr José Frota (IJF) registrará nesta terça-feira, 11, boletim de ocorrência contra suposto incidente na aplicação da prova.
 
A avaliação ocorreu na tarde deste domingo, 9, das 14h às 18h. Na ocasião, três pessoas que estavam na sala 132, da Faculdade Farias Brito, um dos locais de aplicação, teriam ficado sem a prova, que era identificada. Os candidatos reclamaram que, ao serem pegues as chamadas provas reservas, elas vieram em envelope aberto e sem identificação impressa.
 
“Eu estava presente na sala e o fiscal começou a entregar a prova e bem no meio faltaram três provas, e uma seguida da outra. Ele finalizou e pediu para aguardar porque estavam faltando. Eu fiquei preocupada porque não pode faltar prova, ainda mais sendo identificada”, relatou Suyanne Pinheiro, 31, que tentou concurso para enfermagem.
 
De acordo com a candidata, a espera durou cerca de 40 minutos e a estranheza foi maior ainda quando as chamadas provas reservas vieram sem identificação e em envelope aberto identificado com uma caneta. “Nós chamamos algum responsável e veio uma mulher que se identificou como coordenadora do Imparh (Instituto Municipal de Pesquisa Administração e Recursos Humanos) e questionamos a situação”, contou.
 
Em relato em um grupo do Facebook outra candidata, Taís Nobre, comentou o caso: “Essas provas vieram não sabemos de onde, nas mãos do fiscal no qual não vimos o saco sendo deslacrado e não sabemos então de tal procedência. (...) Foi um transtorno, porque começamos a prova depois de 40 minutos, fora o entra e sai da sala, que acaba com a concentração e estressa qualquer pessoa”, escreveu.
 
As candidatas informaram ainda que, devido a situação, três pessoas saíram antes do tempo previsto com as provas em mãos. Um grupo de candidatos se reunirá nesta terça, 4, para registrar boletim de ocorrência no 2º Distrito Policial, no Meireles. “A ideia é pedir a anulação do concurso”, afirmou Suyanne.
Sávio Aguiar, advogado e conselheiro da Ordem dos Advogados do Brasil, seção Ceará, explica que deve constar no edital a existência de prova reserva e o modo como ela deve ser entregue. “Caso não haja, há a possibilidade, nesse caso, de anular e ser refeito um novo certame”, afirma.
 
O item 5.2.4.30 do edital prevê possível substituição mas não discrimina maiores detalhes sobre a identificação ou não na prova e nem o modo de entrega. No texto, consta que "após receber a sua prova objetiva o candidato somente terá 15 (quinze) minutos para reclamar e solicitar a substituição da mesma, em caso de erros gráficos ou imperfeições do caderno de
prova".
 
Imparh

Por meio de nota, o Imparh, instituição que organizou o concurso, informou que após a abertura do saco de provas na sala 132, os fiscais iniciaram o procedimento de distribuição dos cadernos de prova. Nesse momento, teria sido detectada a ausência de duas provas e o erro de impressão em uma outra prova. “Em casos assim, passíveis de ocorrer em qualquer processo seletivo, os fiscais acionam a coordenação para a reposição dos cadernos por reservas. A organização do concurso seguiu, portanto, o procedimento padrão”. informaram.
 
O imparh informou que todos os envelopes, inclusive o que contém os cadernos reservas, chegam ao local de prova em um único malote lacrado. “Os envelopes dos cadernos reservas não são etiquetados e, de praxe, são abertos pelo coordenador, caso haja necessidade”.
 
Em relação às três pessoas que se ausentaram da sala com as provas antes do tempo previsto, a instituição explicou que conforme prevê o subitem 5.2.4.27 do Edital 97.2016, a saída levando o caderno de prova só é permitida aos candidatos que permanecerem nos últimos 30 minutos do tempo total da prova objetiva. “Portanto, as candidatas foram eliminadas por infringirem essa regra do certame, assim como a exigência da permanência mínima de uma hora”.
 
Ainda por meio de nota, a instituição informa que “não vê razões reais que deem ensejo à anulação do certame, especialmente se considerarmos que não houve qualquer indício de irregularidade, fraude ou outro crime que justifique interferência externa no processo seletivo”.
 
Ao todo, foram registradas 16.541 inscrições para os cargos de nível superior e de nível médio oferecidos pelo concurso. Para nível superior, foram inscritos 8.482 candidatos. Cerca de 700 profissionais trabalharam na aplicação da prova. Foram  201 salas distribuídas em 11 locais da cidade. O concurso público oferece 183 vagas para nível superior e nível médio.
 
TAGS