PUBLICIDADE
Notícias

Professores estaduais negociam fim de greve com governo nesta segunda-feira

O encontro aconteceu na às 11h no Palácio Iracema. O governo aceitou a criação de um Grupo de Trabalho para agilizar a negociação e finalizar a greve dos professores

19:20 | 29/08/2016
NULL
NULL

Os representantes dos sindicatos dos professores da Universidade Estadual do Ceará (Uece), Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA) e Universidade Regional do Cariri (Urca) se reuniram com a vice-governadora, Izolda Cela, e o secretário da Ciência, Tecnologia e Educação Superior (Secitece), Inácio Arruda, para tratar do reajuste salarial da categoria. O encontro aconteceu no Palácio Iracema, às 11h. Os sindicatos abordaram a falta de reajuste do salário dos professores concursados, a equiparação da remuneração dos professores substitutos e a falta de concurso para atender a demanda das universidades.

 %2bLEIA MAIS: Universidades estaduais estão em greve há cerca de dois meses

A categoria propôs ao governo a criação de um Grupo de Trabalho para agilizar a negociação entre os professores e o governo. “O sindicato tem disposição para abrir um grupo de trabalho de salário para discutir uma alternativa de reposição salarial para os professores efetivos e tratar da equiparação salarial dos professores substitutos”, explicou o presidente do Sindicato dos docentes da Uece, professor Célio Coutinho. A categoria reivindica ao governo um reajuste salarial de 12,67%.

%2bLEIA MAIS:Professores distribuem informativo de greve em cinco idiomas

Conforme a Secitece, a criação do Grupo de Trabalho para tratar das questões da categoria com a secretaria foi aceita. Sobre o impasse entre os professores e o governo, a secretaria afirmou que a vice-governadora tem interesse em solucionar as questões dos docentes, mas eles devem considerar o contexto econômico que o País se encontra.

Neste encontro, as demandas da Uece foram priorizadas. As da UVA serão abordadas na noite desta segunda-feira, 30. Já em relação à Urca, o governo informou que será atendida em breve, mas não determinou uma data. A greve dos professores das universidades públicas estaduais dura mais de 100 dias. Desde então, as atividades acadêmicas estão paralisadas até o fechamento de uma negociação.

 

Redação O POVO Online

TAGS