PUBLICIDADE
Notícias

Mais de 100 mil notificações de dengue e febre chikungunya no Ceará em 2016

Foram confirmados 23 óbitos e outros 60 estão em investigação pelas duas doenças, que são transmitidas pelo mosquito aedes aegypti

20:27 | 05/08/2016

Mais de 100 mil casos de dengue e febre chikungunya foram notificados no Ceará este ano. As doenças, classificadas como arbovirsoses, são transmitidas pelo mosquito aedes aegypti  e já provocaram a confirmação de 23 óbitos e a investigação de outros 60.  Apesar da origem ser a mesma, os sintomas das duas doenças são diferentes.


Os números da dengue exibem 75.743 notificações, com 17 mortes confirmadas. Estão em investigação 40 casos da forma grave da doença; destes, 35 mortes nos municípios de Fortaleza (13), Caucaia (3), Aquiraz (2), Maracanaú (2), Aracoiaba, Crato, Horizonte, Itaiçaba, Itapajé, Limoeiro do Norte, Maranguape, Mulungu, Ocara, Paraipaba, Pentecoste, Quixadá, Russas,Solonópole e Tauá com um óbito cada, que poderão ser confirmados ou descartados nas próximas semanas.

Foram 32.690 casos notificados de febre chikungunya, com seis mortes confirmadas e 25 investigadas nos municípios de Quixadá (11), Fortaleza (07), Caucaia (01), Crateús (01), Jaguaruana (01), Juazeiro do Norte (01), Mulungu (01), Pentecoste (01) e São Gonçalo do Amarante (01).

Os números foram divulgadas nesta sexta-feira, 5, no boletim epidemiológico semanal da Secretaria da SAúde do Estado (Sesa).


SINTOMAS

De acordo com a Sesa, a definição de um caso suspeito da febre se dá com o paciente com febre de início súbito maior que 38,5° C e artralgia ou com artrite intensa de início agudo, não explicado por outras condições, sendo residente ou tendo visitado áreas endêmicas ou epidêmicas até duas semanas antes de início dos sintomas ou que tenha vínculo epidemiológico com caso confirmado.

Para a dengue, a secretaria alerta que o caso suspeito se caracteriza por pessoa que viva ou tenha viajado nos últimos 14 dias para área onde esteja ocorrendo transmissão de dengue ou tenha a presença de aedes aegypti que apresente febre, usualmente entre 2 e 7 dias, e apresente duas ou mais das seguintes manifestações: náuseas, vômitos, exantema, mialgia, artralgia, cefaléia, dor retro-orbital, petéquias, prova do laço positiva ou leucopenia. Toda criança proveniente ou residente em área com transmissão de dengue, com quadro febril agudo, usualmente entre 2 e 7 dias, sem foco de infecção aparente. 
 
 
Redação O POVO Online 


 




TAGS