PUBLICIDADE
Notícias

Estudantes protestam contra portaria que regulamenta cobrança por uso de espaços da UFC

Entre outras medidas, o texto prevê a cobrança de 5 reais por pessoa suportada no equipamento. Jardins da reitoria estão ocupados

12:40 | 31/08/2016
NULL
NULL
Cerca de 250 manifestantes reúnem-se nos jardins da reitoria da Universidade Federal do Ceará (UFC), nesta quarta-feira, 31, em protesto contra a portaria nº 3131/2016, que regulamenta o uso dos espaços da universidade. O movimento estudantil da universidade, que mobiliza o ato, alega que a portaria "cerceia" e "privatiza" os espaços da UFC. Além disso, os manifestantes repudiam o aumento no valor pago no Restaurante Universitário por servidores, professores e terceirizados: de R$1,60 para R$7.

O protesto começou às 8 horas desta quinta, em concentração no Bosque da Faculdade de Letras da UFC. De lá, os estudantes partiram em direção à reitoria, chegando a ocupar a avenida 13 de Maio, que separa o Centro de Humanidades I do prédio. O pró-reitor de Assuntos Estudantis, professor Manuel Antonio de A. Furtado Neto, chegou a negociar com os estudantes no local a suspensão da portaria. No entanto, o movimento exige a revogação da determinação, após reunião com o reitor, afirma a integrante do Diretório Central dos Estudantes (DCE) e estudante de Matemática Natália Aguiar. Ela conta ter sido informada pelo pró-reitor de que o reitor estaria em reunião com representantes de uma universidade chinesa e não poderia comparecer no momento

Assinada no último dia 17 de agosto pelo reitor Henry de Holanda Campos, em caráter emergencial, a a portaria prevê, dentre outras medidas, a cobrança de R$ 5 para cada pessoa que o espaço suportar — independente da lotação máxima ser atingida ou não. Não estão sujeitas às cobranças atividades da própria UFC. Cabe à UFC decidir quais eventos podem ou não ser realizados no espaço da universidade, mediante pedido com até 30 dias de antecedência.

Estão vedadas ainda autorização para atividades político-partidárias, que coloquem em risco a integridade física de participantes ou do equipamentos, que desrespeitem valores constitucionais e que sejam julgados como inconvenientes pela UFC.

A portaria pode ser lida, na íntegra aqui.

Redação O POVO Online
TAGS