PUBLICIDADE
Notícias

"Trabalho mediúnico não é investigativo", diz Casa que revelou restos mortais por psicografia

A Casa de Francisco/Lar de Clara explica que o trabalho mediúnico não é investigativo, nem criativo. Transmissão mediúnica foi procurada por mãe da vítima

19:15 | 29/07/2016
A suposta revelação por carta psicografada, que deu "novo norte" à morte de Galdino Alves Bezerra Neto, de 47 anos, teve pontos contestados pela Polícia Civil. Para o titular da Delegacia Metropolitana do Município, delegado Francisco Braúna, haviam informações na carta que teriam se mostrado incoerentes. A Casa de Francisco/Lar de Clara, explica, por meio de nota, que foi procurada pela mãe da vítima, Maria Lopes, de 75 anos, e que "o trabalho mediúnico não é investigativo, tão pouco criativo. É apenas a transmissão de informações colocadas no papel através do médium". 

Leia a nota na íntegra: 
 
"A instituição sem fins lucrativos, Casa de Francisco/Lar de Clara há mais de 15 anos, assiste e auxilia a promoção social de quase 400 famílias na cidade de Caucaia. Além do serviço social junto à comunidade, aos sábados, a casa realiza o trabalho de consolo através da psicografia. Já são mais de 2 mil cartas, entre elas, inúmeras com estudo de grafoscópico laudado.
 
Nesses anos de trabalho mediúnico, a instituição recebeu milhares de familiares na busca de conforto e entendimento da vida eterna através de contato com seus entes queridos que já partiram.
 
Durante uma dessas sessões, o médium foi procurado pela sra. Maria Lopes. Uma mãe de 75 anos que desejava informações sobre o paradeiro de seu filho Galdino Neto, 47 anos, até aquele momento desaparecido. 
 
Em uma comunicação do sogro de dona Maria, avô de Galdino Neto, o médium recebeu uma mensagem que a partir dela, a polícia da cidade de Maranguape, realizou a identificação de uma ossada encontrada na lagoa do Juvenal, atestada por DNA. 
 
O trabalho mediúnico não é investigativo, tão pouco criativo. É apenas a transmissão de informações colocadas no papel através do médium. 
 
A Casa de Franciso/Lar de Clara reintegra a sua missão em servir, seja através da ação social ou o serviço de consolo espiritual. Não há interesse algum na publicidade do trabalho em si, apenas na propagação de uma doutrina de amor, pautada na caridade que o Cristo nos deixou como lição.
 
A casa ainda afirma que acredita na capacidade investigativa da polícia e deseja que a verdade dos fatos seja esclarecida sem espaço para especulações. Reforça seu princípio doutrinário de amor, consolo e a missão de levar o evangelho aos corações de todos". 
 
Redação O POVO Online
TAGS