PUBLICIDADE
Notícias

Estudantes de Fortaleza são finalistas do Prêmio Impacto na Comunidade

Um dos prêmios da Google Science Fair, competição online global de ciência e tecnologia, tem como finalista a dupla João, de 15 anos, e Leticia, de 18 anos

16:03 | 12/07/2016
NULL
NULL

Os estudantes de Fortaleza João, 15, e Leticia, 18, são finalistas do Prêmio Impacto na Comunidade, um dos prêmios da Google Science Fair, competição online global de ciência e tecnologia. Com o projeto Semente Mágica, que transforma água contaminada em água potável, a dupla disputa o primeiro lugar da América Latina. O prêmio que irá eleger o melhor projeto será anunciado na próxima segunda-feira, 18.

O Prêmios Impacto na Comunidade contemplam cinco projetos que fazem uma diferença prática na comunidade ao solucionar um desafio ambiental, de saúde ou de recursos. Para ajudar a desenvolver, cada vencedor receberá uma ajuda de custo no valor de US$ 1.000 e um ano de monitoria de uma organização parceira da Google Science Fair.

Cada vencedor, junto com um responsável, será convidado para o evento finalistas globais, que acontecerá em setembro deste ano, em Mountain View, na Califórnia.

Conheça o projeto Semente Mágica

Em novembro de 2015, o rompimento de uma barragem no Brasil provocou um desastre ecológico: 62 milhões de metros cúbicos de lama de rejeitos de mineração contaminaram 500 km do Rio Doce, poluindo a água para consumo e irrigação usada por 500 mil pessoas, aproximadamente. Assim como milhares de brasileiros pelo país, João, de 15 anos, e Leticia, de 18 anos, foram afetados por várias crises de poluição da água. Com acesso limitado a tratamentos avançados para o abastecimento de água local, principalmente em meio a uma crise ambiental, os estudantes queriam encontrar uma maneira acessível e barata de tratar a água no Brasil.

A preocupação dos jovens também era encontrar uma resposta que não poluísse ainda mais o meio ambiente. Eles ficaram animados ao descobrir que a Moringa, uma planta local, pode ser a solução ideal: já abundantes na região e populares como alimento, as sementes que sobram do processamento de comida atuam como filtros de água biodegradáveis. João e Leticia querem introduzir este sistema de filtragem na sua comunidade local em Fortaleza e no resto do Brasil.

Redação O POVO Online
TAGS