PUBLICIDADE
Notícias

Agente penitenciário foi morto ao reagir a tentativa de assalto, diz Polícia

A hipótese de que o suspeito conhecia o agente penitenciário foi descartada pela Polícia. André morreu dentro de seu carro após trocar tiros com o suspeito

11:09 | 04/07/2016
NULL
NULL

O suspeito de assassinar o agente penitenciário André Nogueira Pires, 26 anos, encontrado morto no Jardim América, foi preso pela Polícia Civil horas após o crime, no último sábado, 2, em Fortaleza. Flávio Paixão da Costa, 27 anos, está detido na Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), onde foram repassados os dados do crime, em coletiva na manhã desta segunda-feira, 4.

Segundo a diretora da DHPP, Socorro Portela, Flávio estava em uma bicicleta roubada e abordou o agente penitenciário para anunciar um assalto, por volta de 1 hora da madrugada. O servidor então desceu do Celta de cor prata, no cruzamento das ruas Major Weyne com Jorge Dumar, entrando em luta corporal com o criminoso.

André trocou tiros com o suspeito, mas foi atingido no peito e, em seguida, entrou no carro e não resistiu. "Ele acabou falecendo no veículo. O Flávio fugiu com um ferimento na perna, mas não foi baleado", contou a delegada.

O suspeito fugiu do local do crime sem levar os objetos e a arma do agente penitenciário. O celular e o revólver da vítima, ainda de acordo com a investigação da Polícia, teriam sido subtraídos por pessoas da região logo depois do crime.

Após buscas, a Polícia conseguiu chegar até Flávio, que foi detido por volta das 15 horas. Na casa dele, na comunidade "Brasília", um revólver calibre 38, utilizado na troca de tiros com o agente, foi apreendido.

Ele foi conduzido à DHPP com outro homem, que foi liberado em seguida, conforme O POVO online adiantou na noite de sábado. A arma do agente penitenciário, também um revólver calibre 38, foi encontrada abandonada na região depois de denúncias de moradores.

Flávio já respondia na Justiça por dois procedimentos de porte ilegal de arma de fogo, um de roubo e um de furto. Ele já tinha duas passagens por presídios cearenses e, conforme contou à Polícia, cometeu um latrocínio (roubo seguido de morte) quando ainda era adolescente.

Pelo assassinato do agente penitenciário, o homem foi autuado por roubo seguido de morte, com base no artigo 157, parágrafo III, do Código Penal Brasileiro.

A hipótese de que o suspeito conhecia o agente penitenciário foi descartada pela Polícia. "Essa linha de investigação não foi comprovada, o Flávio teria ido realizar um assalto. O trabalho da Perícia foi fundamental e tivemos uma ajuda muito grande da comunidades. As pessoas confiam no trabalho da Polícia e denunciam. O engajamento da Polícia Civil e da Militar também facilitou o trabalho da Divisão", completou Socorro.

André era lotado na Casa de Privação Provisória de Liberdade Professor Clodoaldo Pinto (CPPL II), em Itaitinga.
 

TAGS