PUBLICIDADE
Notícias

Comissão de Segurança Pública da Câmara Federal visitará presídios do Ceará

O requerimento foi aprovado nesta terça-feira, 21, um mês após a greve dos agentes penitenciários no Ceará, que teve a duração de 17 horas e culminou na morte de 18 presos

19:57 | 21/06/2016

A Comissão de Segurança Pública da Câmara Federal visitará presídios do Estado para averiguar as condições das unidades. O requerimento da visita, do deputado Cabo Sabino (PR-CE), foi aprovado nesta terça-feira, 21, um mês após a greve dos agentes penitenciários no Ceará, que teve a duração de 17 horas e culminou na morte de 18 presos.

A comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado também aprovou requerimento de autoria do parlamentar para debater a situação da Segurança Pública em uma Audiência Pública no Estado.

Na edição do O POVO desta terça-feira, familiares e agentes penitenciários afirmaram que não houve mudança efetiva nos presídios após a greve, mesmo com o anúncio do plano de estabilização feito pelo Governo do Estado. A aceleração dos processos no sistema judiciário, prometido no plano de estabilização, foi outra queixa dos familiares.

[SAIBAMAIS3] 

Para a reportagem, um agente penitenciário que pediu para não ser identificado denunciou que na unidade já existem montes de pedras e areia reservados somente para tapar os túneis que aparecem semanalmente. No local, os presidiários ainda estão soltos no pátio e, segundo o agente, isso tem dificultado o controle e facilitado as fugas.

Situação precária

Na mesma edição do O POVO, o titular da Secretaria da Justiça e Cidadania (Sejus), Hélio Leitão, confirmou a precariedade das unidades, os últimos episódios ainda são “fruto da instabilidade criada com a greve ilegal”, que teria sido “agudizada” no intervalo da paralisação.

O secretário apontou as Casas de Privação Provisória de Liberdade (CPPLs) 1, 2, 3, 4, em Itaitinga, e a unidade Prisional Adalberto de Oliveira Barros Leal, conhecida como Carrapicho, em Caucaia, como as mais depredadas. Segundo ele, as CPPLs 1, 3 e 4 estão passando por reformas. As obras em Caucaia devem ter início na próxima semana. Os trabalhos têm previsão de 90 dias para serem concluídos. As reformas custarão R$ 6 milhões.

“O pior momento passou”, disse Leitão, ao destacar que o sistema prisional do Ceará e do Brasil vive em crise permanente. “Nossa massa carcerária intramuros é hoje de 16,5 mil presos, sendo seis mil deles excedentes”.

Entre a última sexta-feira, 17 e domingo, 19, O POVO tentou ouvir o presidente do Sindicato dos Agentes e Servidores do Sistema Penitenciário do Ceará (Sindasp/CE), Valdemiro Barbosa. Entretanto, ele não estava na sede do órgão e as chamadas para o celular não foram atendidas.

Redação O POVO Online

TAGS